Viagem para Maldivas: quem nunca sonhou em se hospedar em uma cabana rústica com piscina na sacada e bem no meio das águas cristalinas das Ilhas Maldivas?

maldivas

Sem dúvida nenhuma, este é o sonho de muitos viajantes! É claro que ao sonhar, aquela pergunta clássica vem à mente: quanto custa uma viagem para as Ilhas Maldivas? Como planejar? 

Existe um estigma muito grande que foi imposto sobre essa viagem em especial: que ela é só para pessoas que possuem alto poder aquisitivo. Mas será que isso é verdade? É o que vamos descobrir aqui! 

Nesse post, vamos falar um pouco sobre os valores dessa viagem, moeda local e vamos dar algumas dicas que podem te ajudar na missão de tornar este sonho uma realidade sem ir à falência! Vamos lá?

Maldivas: coisas que você precisa saber 

Localizada na Ásia, em meio ao Oceano Índico, as Ilhas Maldivas são compostas por um arquipélago de 1.196 ilhas (onde somente 203 são habitadas). É o país menos populoso da região asiática e sua capital, Malé, fica a apenas 90 centímetros do nível do mar!

A melhor forma de chegar ao destino, é pegando um voo até Dubai e de lá, pegar um avião até Malé e depois, um hidroavião até as ilhas. 

Para esta viagem, é necessário ter um passaporte vigente e com validade mínima de seis meses, comprovante de hospedagem de ida e volta. Ah, e caso a sua viagem seja maior do que 30 dias, é necessário solicitar um visto na imigração. Outro ponto de atenção, é que a vacina contra a febre amarela é obrigatória! 

A moeda local é a Rúpia Maldívia ou Rufiyaa, no câmbio atual R$ 0,34 = 1,00 Rúpia (lembrando que este valor é variável conforme o câmbio do dia). 

Os valores desse tipo de viagem vão variar de acordo com o tipo de viagem que você vai fazer. Há quem queira ficar em um hotel 5 estrelas e internacionalmente conhecido pelo requinte e conforto, há quem prefira uma opção intermediária e aqueles que buscam a opção mais em conta financeiramente. 

Uma coisa interessante, é que se conhecer as águas cristalinas das Maldivas está nos seus planos, saiba que a maior parte do tempo, você irá desfrutar do hotel e da estrutura local. E se você optar por se hospedar nas ilhas públicas ao invés de um hotel/resort, poderá aproveitar o day use nesses lugares. 

Os passeios, geralmente, são atividades de pesca, passeios de barco para visitar outras ilhas, mergulho e snorkel. Se você for mais para o lado aventureiro, também é possível fazer atividades como stand up paddel, jet-ski e parasailing.

Como falamos mais acima, o valor final da viagem irá depender muito do tipo de viagem que você quer fazer! Mas, como prometemos, aqui vai uma lista com as coisas que você irá precisar preparar logo de cara para incluir no seu planejamento financeiro da viagem: 

  • Passaporte (caso ainda não tenha ou esteja muito perto da validade);
  • Passagem aérea;
  • Hospedagem;
  • Compra da moeda local;
  • Verba para passeios. 

Dito isso, como começar esse planejamento? Aqui vão algumas dicas:

1. Defina o período da viagem com antecedência

Ainda que você opte por fazer uma viagem econômica, uma viagem para as Maldivas não é muito barata (a começar pela passagem aérea), então, a menos que você realmente tenha bastante dinheiro guardado, o ideal é definir a data da sua viagem com pelo menos um ano de antecedência. 

Se você tiver um pouco mais de paciência, coloque uns dois anos nesta contagem. Isso irá te ajudar a planejar tudo com mais calma e tranquilidade, além de colaborar significativamente para a sua saúde financeira mesmo após a viagem. 

2. Qual é o tipo de viagem que você quer fazer?

avião sobrevoando Maldivas

Existem duas formas de fazer uma viagem para as Maldivas (valor mais alto ou mais baixo):

  • Hotel/Resort para ficar nas ilhas particulares;
  • Guest houses/hostels nas ilhas públicas.

Se você quer ir para as Maldivas para conhecer o lugar, qualquer uma dessas opções é válida! A principal diferença aqui, é o preço. 

Os Resorts nas ilhas privadas possuem estruturas maiores e o preço varia conforme a época do ano e o luxo oferecido pelo hotel. Via de regra, os resorts possuem uma estrutura padronizada: all inclusive com bagalôs sobre o mar (com ou sem piscina), quartos privados em vilas dentro do próprio resort, studios e quartos. 

Para ficar em uma acomodação all inclusive, existem hotéis com valores variados (dependendo da localização e conforto oferecido). É possível ficar em opções mais simples (3 estrelas) a partir de R$ 5.000 para 10 dias (lembrando que este valor é variável de acordo com a data do ano, pode ser que amanhã o valor possa ser maior ou até menor). 

Já para aqueles hotéis mais luxuosos, regime all inclusive de 4 ou 5 estrelas, o céu é o limite! Os valores variam de R$ 15.000 a valores mais altos (60, 70 até 100 mil reais ou mais).

Agora, se você se sentir confortável ficando nas ilhas públicas, os valores são bem diferentes! Você consegue se hospedar por 10 dias com valores a partir de R$ 3.000,00 (lembrando que este valor é variável conforme a época do ano). 

A dica é: monitore os sites de hospedagem que você confiar. Busque as opções de hotéis, verifique a qualificação, comentários e todas as informações que estiverem disponíveis. 

Veja também:

Como alcançar seus sonhos investindo em fundos de investimento de acordo com o seu perfil de investidor

3. Monitore os voos 

Pode parecer clichê, mas muitas pessoas ainda não monitoram os valores das passagens aéreas antes de comprar e acabam pagando mais caro.

Como falamos, a melhor rota de viagem é passando pelos Emirados Árabes, mas também existem outras rotas que podem ser acessíveis. Os valores para Malé, na data em que escrevemos este post, estão a partir de R$ 5.700. Pesquisamos utilizando o decolar.com

É importante que ao realizar a sua pesquisa, você busque companhias aéreas conhecidas e confiáveis para não correr riscos. 

Geralmente, as passagens aéreas são disponibilizadas com um ano de antecedência, então, se você começar a se programar com mais tempo, já separe um pouco de dinheiro por mês para pagar essa passagem à vista com desconto (em alguns casos) ou para o valor do parcelamento ficar mais fácil de arcar. 

4. Defina o roteiro e os custos extras

pessoa sentada admirando as águas de Maldivas

Tão importante quanto o tipo de viagem que você quer fazer e o voo, é definir o roteiro! Você vai ficar só no hotel? Esse hotel é all inclusive ou você terá que fazer refeições à parte? 

Pesquise os passeios que você deseja fazer, os restaurantes locais que você quer ir ou pelo menos, pesquise o valor médio para uma alimentação dentro e fora do seu hotel. Embora muitos hotéis não sejam all inclusive, eles oferecem alimentação à parte! Pode ser que valha a pena. 

E claro, reserve uma quantia de dinheiro para coisas que você queira comprar. 

Uma conta base que você pode fazer para calcular quanto dinheiro levar é: some o valor gasto com hospedagem e aéreo, pronto, separe este mesmo valor para custos adicionais. 

Não é uma regra, mas é um direcionamento para você que não sabe como definir este valor. Se for possível, separe uma quantia a mais (é claro), mas caso não seja, se atente aos valores e #sóvai!

5. Aplique o dinheiro da viagem para rentabilizar o dinheiro 

Já falamos algumas vezes por aqui que uma das grandes vantagens de investir é aproveitar os juros compostos, lembra? 

Esse é um dos motivos pelos quais você deve investir o dinheiro destinado à sua viagem! Os investimentos contam com os juros compostos, e isso significa que a rentabilidade aumenta mês a mês com o rendimento sobre o valor atual da aplicação. Mas como assim?

Um exemplo de investimento em renda fixa, para que você possa entender melhor: se você investiu R$ 20,00 e em 30 dias houve um rendimento de R$ 1,00, após esses 30 dias o rendimento será sobre esses R$ 21,00 e não mais sobre os R$ 20,00, e assim por diante. Entendeu?

É claro que não existe a obrigação de investir em renda variável ou renda fixa, ao contrário: você deve investir conforme o seu perfil de investidor. Mas achamos importante dar esta dica!

Existem diversos tipos de investimentos com rentabilidade diferente, tudo vai depender do valor mensal que você irá aplicar (ou não) e de quanto tempo você quer deixar este valor aplicado. 

Falando nisso, o nosso Robô de investimentos pode te ajudar nessa empreitada! No aplicativo do Sofisa Direto, você pode fazer o teste de Suitabillity para descobrir o seu perfil de investidor (caso ainda não saiba) e contar com a ajuda do Robô para escolher os melhores tipos de investimentos conforme o seu perfil e os seus planos. 

6. Divida o valor total mensalmente 

Agora que você já sabe como planejar a sua viagem e até ter um dinheiro extra com a rentabilidade dos investimentos, é hora de colocar a mão na massa (ops, na agenda). 

Defina a data da viagem e então faça um planejamento mensal para guardar uma quantia por mês (investir), a data em que você irá comprar a passagem, reservar a hospedagem e comprar a moeda local. 

Confira esse planejamento mensalmente para ter certeza de que está conseguindo cumprir tudo certinho! Mantenha o foco. 

É hora de começar a planejar! 

Ir para as Maldivas é um sonho, mas ele pode se tornar realidade com um bom planejamento! Basta ter paciência e manter o seu foco em cumprir a meta de guardar o dinheiro necessário para realizar este sonho. 

Ah, inclusive, aqui vai uma outra dica para te ajudar nessa preparação: economize em casa! E para te ajudar nisso, confira esse outro post do nosso blog: Entenda como controlar gastos desnecessários e investir mais

Entenda como controlar gastos  desnecessários e investir mais

  

COMENTÁRIOS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER