O Sofisa Direto quer te conhecer melhor

Vamos lá!

CDI (Certificado de Depósito Interbancário) é uma das muitas siglas utilizadas no mercado financeiro e é de extrema importância para o funcionamento das negociações entre as instituições financeiras e investidores individuais.

Confundido com o CDB (Certificado de Depósito Bancário) e utilizado para lastrear muitos títulos, o CDI tem grande representatividade no processo de decisão de quem pretende investir, principalmente, em títulos de renda fixa. 

Pensando na importância dessa taxa, preparamos este blogpost recheado de informações sobre como funciona o CDI e como ele impacta seus investimentos!  

Veja tudo que preparamos para você! 

Tenha uma boa leitura! 

O que é CDI? 

O CDI é um certificado de depósito bancário, título negociado entre bancos e que acontece porque essas instituições financeiras precisam tomar empréstimos com outros bancos, devolvendo a quantia em menos de 24h.  

Isso acontece porque eles não podem fechar o dia com saldo, e, pelo tempo de transação, são considerados títulos de curto prazo. Com esse recurso, eles conseguem regularizar seus caixas, terminando o dia positivados. 

Então, o CDI é um modo de buscar recursos para regularizar as finanças de uma instituição financeira! Esse conceito nos leva a pensar que o CDB (Certificado de Depósito Bancário) também é negociado com o fim de buscar recursos! Vamos esclarecer isso aqui! 

Diferenças entre o CDI e o CDB

Você sabe o que é o CDB e o CDI? O CDI acontece entre as instituições financeiras para sua autorregularização, e suas negociações duram até 24h. Nessa modalidade, há um interesse de manter a contabilidade em dia! 

Quando falamos em CDB, os títulos também vão ser negociados, mas a finalidade é diferente. A finalidade, aqui, é a captação de recursos por essas mesmas instituições, mas com negociações realizadas com investidores individuais que desejam investir em títulos de renda fixa. 

Nessas negociações, é possível notar que as instituições possuem uma espécie de reserva de emergência e seu funcionamento é bem organizado! Uma reserva financeira é tão importante para os bancos como é para você, que deseja ser investidor! 

Mas como funciona o rendimento do CDI? O CDI remunera uma boa parte dos investimentos de renda fixa, logo, o próximo passo é saber como a taxa vinculada ao CDI pode auxiliar nesse processo!  

Renda fixa é um tipo de investimento com prazos e remuneração previsíveis! Sua escolha de investimentos combina muito com seu jeito de ser! Preparamos este e-book sobre Tipos de investidores: dos Baby Boomers a Geração Z, com dicas imperdíveis! 

Como o CDI impacta seus investimentos?

Você já entendeu que o CDI é, basicamente, um empréstimo entre bancos! Todo empréstimo realizado em instituições financeiras é feito baseado em uma cobrança de juros, e é nesse ponto que você vai entender como isso pode impactar seus investimentos. 

O CDI é calculado com base em uma média das taxas de juros cobradas nessas transações interbancárias. Dessa forma, ele varia com a Taxa Selic (taxa básica de juros) e é atualizado diariamente pela Bolsa de Valores.  

A partir dessas informações diárias, são calculadas médias mensais e anuais, possibilitando um acompanhamento das oscilações para entender os benefícios de investir em títulos que sejam remunerados nessa modalidade ou uma variação da carteira de investimento de renda variável. 

Item a item, você descobrirá as taxas, os títulos e a relação estabelecida com a taxa Selic, bem como analisará alguns dos pontos relacionados ao funcionamento desse título. 

Taxa DI 

A taxa DI (Taxa de Depósitos Interbancários) ou Taxa CDI é a taxa que remunera os certificados interbancários e é uma média das taxas diárias dos dias úteis de um ano, chamada de CDI Over Diário. 

Essa taxa pode definir em quais títulos você deve aplicar seu dinheiro, e o ideal é que as escolhas sejam feitas em uma possibilidade de rendimento de, no mínimo, 100% do CDI, mesmo porque haja títulos que rendem mais que 100%, por isso, é importante conhecer a fundo essa taxa, o que pode ser muito comum entre investimentos com maior liquidez diária, ou seja, aqueles que podem ser resgatados a qualquer momento, e quase todas as instituições bancárias oferecem esse produto financeiro. 

Veja também:

Nova call to action

Renda Fixa 

A renda fixa é um tipo de rentabilidade que ocorre em títulos com prazo e taxas de remuneração que são fixados previamente. 

Esses investimentos de renda fixa são remunerados pela taxa DI e são mais rentáveis que a poupança, que é remunerada pela TR (taxa referencial).  

O CDB é um exemplo de títulos de renda fixa e faz parte da carteira de investidores de todas as categorias. Esse é um ponto interessante, pois esclarece ainda mais as diferenças entre o CDB, tão confundido com o CDI. 

Relação com a Taxa Selic 

Explicamos acima como a Taxa DI é calculada e, por isso, citamos, aqui, a relação existente com a Taxa Selic. Ela é, na verdade, um instrumento de política monetária do Banco Central que regula todas as aplicações financeiras realizadas no país. 

Como os títulos dessa natureza são adquiridos por grandes instituições financeiras e os bancos são obrigados a depositar parte de seus depósitos diariamente em uma conta do Banco Central e nem sempre é possível, então, são realizados os depósitos interbancários. 

Olha o CDI aparecendo aqui! Por conta de o governo precisar realizar essas ações para controlar a inflação, ele usa por base a Taxa de DI para lastrear a taxa Selic. Tudo está diretamente interligado! 

Investir é isso! Aprender e praticar! Com base nessa premissa, vamos apresentar alguns dos títulos que são remunerados pelo CDI e que são uma ótima oportunidade de começar a aplicar com alta rentabilidade e clareza de informações! 

Investimentos remunerados pelo CDI

CDB 

Esse investimento de renda fixa amplamente conhecido é uma ótima alternativa para quem deseja ingressar no mercado financeiro. Além de ser confundido com o CDI, ele representa uma ótima alternativa à Poupança. 

O CDB é um título que funciona como empréstimo aos bancos, que emitem esses certificados com a finalidade de obter recursos. Assim, o investidor adquire alguns títulos e recebe, com prazo definido, os retornos dessa transação. 

Esse tipo de investimento é seguro e tem por garantia o FGC (Fundo Garantidor de Créditos), que também assegura a Poupança em até R$ 250 mil por investidor e por instituição financeira. 

Os prazos para resgate podem ser diários ou você pode deixá-los render por meses. Importante se atentar para os prazos, pois, se você precisar retirar o dinheiro antes do tempo, por conta de uma emergência financeira, poderá diminuir seus lucros. 

Ao mesmo tempo, você pode mantê-lo com rendimentos menores e optar pela liquidez diária! Outra informação muito importante é que ele é tributado pelo IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras) e Imposto de Renda. 

Os impostos variam de acordo com o tempo que o dinheiro fica aplicado, e quanto maior o tempo, menor é a alíquota incidente. Você vai se surpreender com a elasticidade com a qual esse título se comporta!  

LCI e LCA 

A LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e a LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) são uma aplicação muito atrativa, tanto pelo segmento de mercado quanto pelo fato de não serem tributadas pelo Imposto de Renda.  

Esses títulos também são emitidos para captação de recursos e as suas instituições financeiras emissoras são do ramo imobiliário e do agronegócio. Elas também são asseguradas pelo FGC e sob as mesmas condições do CDB. 

Podem ser prefixadas, na maioria das vezes, por uma taxa nominal ou pós-fixadas, com variação pelo CDI. Há, também, as letras que são rentabilizadas pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). 

Esses são alguns dos investimentos que podem ser realizados por investidores de todos os perfis. Convidamos você a entender melhor esses títulos acessando no blogpost sobre Entenda como funciona a renda variável nos investimentos 

Entenda como funciona a renda  variável nos investimentos 

COMENTÁRIOS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER