Final do ano chegando, muitos já receberam o 13º ou bônus de final de ano. E agora, o que fazer? Deixar o dinheiro render ou gastar com presentes de Natal?

Você já parou para pensar em outra forma de usar esse dinheiro?  Então confira nossas dicas. 

O décimo terceiro salário foi implementado no Brasil, no ano de 1962, através da Lei 4.090/62 . Esse dinheiro é o valor do seu salário, que é pago em parcela única até o dia 30 de novembro ou em duas parcelas, entre o primeiro dia do mês de fevereiro e 30 de novembro e outra até o dia 20 de dezembro. Você também pode receber nas suas férias. 

No Brasil, já existe uma cultura pela espera desse valor, em que a maioria da sociedade decide gastar com as contas do final de ano e presentes de Natal. Porém, existem outros meios de usar este dinheiro e uma delas é investindo. 

Você pode pensar que não vale a pena investir, pois agora tudo está muito caro, com o aumento no preço dos alimentos, gasolina, gás de cozinha e o seu objetivo maior é pagar as dívidas e virar o ano sem dever nada. Mas investir não é apenas colocar seu dinheiro em algo, e sim, também criar uma reserva financeira para o seu futuro. 

Um bom exemplo é, caso você passe por alguma dificuldade financeira, como a perda de emprego. Nessa situação, ter uma reserva de emergência vai lhe deixar seguro, pois assim você terá uma renda para conseguir manter suas contas em dia, até conseguir outro emprego. 

Então, sim, investir é um bom caminho, e vamos explicar o porquê! Porém, antes de falarmos sobre isso, você precisa entender como é feito o cálculo do décimo terceiro

Este cálculo vai levar em consideração a quantidade de meses que você trabalhou em uma empresa. Assim, o seu salário é dividido em 12 e multiplicado pela quantidade de meses que você atuou na empresa naquele ano.  

Como mencionamos ali em cima, ele é geralmente pago em 2 vezes: 

  • A primeira é composta pela metade do valor total do recebimento. Exemplo: se o seu salário é de R$ 4.000,00, você receberá R$ 2.000,00 (sem nenhum tipo de desconto);
  •  Já a segunda parcela, é composta pela outra metade com os devidos descontos proporcionais (Imposto de Renda e INSS). 

Entendido esta parte, vamos para as dicas. Entenda que não é proibido gastar, mas fazer o seu dinheiro render seria a melhor opção. 

Sem mais delongas, aqui vão as cinco dicas para fazer o seu décimo terceiro render:

1. Analise suas finanças! 

Quando falamos em investir, não é já começar colocando o seu dinheiro em uma das diversas opções de investimentos que temos. Antes de fazer qualquer tipo de investimento, seja em renda fixa, variável ou fundo de investimentos, você deve analisar como está sua situação financeira

É mais fácil do que parece! Você só vai precisar de calculadora, papel e caneta ou de uma boa e velha planilha.

Com esse material em mãos, vamos entender o que são despesas fixas e variáveis. 

Despesas fixas: 

São aquelas que não sofrem alteração no seu valor,  como aluguel;  conta de internet;  serviço de streaming; academia; entre outros. 

Despesas variáveis:

Elas oscilam de acordo com a frequência que você consome, como água; energia elétrica;  gasolina;  alimentação. 

Também precisamos colocar a fonte de renda disponível para a sua casa (a soma de tudo o que entra financeiramente para pessoas que estão envolvidas com as despesas).

Depois de analisar isso, ficará mais fácil entender quanto você pode investir do seu décimo terceiro

2. Quais são seus objetivos? 

Foque naquilo que você deseja. Seu sonho é viajar? Comprar um carro? Trocar de fogão ou geladeira? Então, se você está planejando usar seu 13º para ajudar a pagar gastos fixos e variáveis, separe uma parte desse dinheiro e invista. 

Investir é uma grande oportunidade para você realizar suas metas. Mas se engana quem acredita que precisa de muito dinheiro para dar o primeiro passo. É possível começar com valores pequenos, investindo em CDBs ou no Tesouro Direto, por exemplo. 

Veja também:

CDB ou Poupança: onde investir? Um guia desmistificador!

3. Qual seu perfil de investidor?  

Faça pesquisas. 

Você sabe qual é o seu perfil de investidor e qual é a melhor maneira de fazer seu investimento? Para saber é simples, faça o teste direto no aplicativo Sofisa Direto. 

Você precisa saber que não existe investimento sem riscos, mas o Sofisa Direto está aqui para ajudar a encontrar o melhor caminho para fazer seu dinheiro render no seu futuro investimento. 

Destacamos quatro  tipos de perfil de investidor para você: 

O Conservador

É aquele que  não gosta muito de correr riscos. Para ele, ter segurança é mais importante do que maiores retornos; 

O Moderado

Não quer correr tanto risco, mas também não quer ser tão conservador. Este perfil é aquele que fica de olho no mercado, que quer um pouco mais de retorno, mas não quer correr grandes riscos; 

Arrojado

Esse perfil quer ter mais retorno a longo prazo, então aceita correr riscos mais elevados e investir em produtos com menor liquidez;

Agressivo

O foco é ver o dinheiro aumentar! Para isso, ele toma decisões com base na chance de ter mais rentabilidade. Ele realmente não tem problemas em assumir mais riscos para isso. 

4. É hora de pesquisar! 

Agora que você já sabe seu perfil de investidor, vamos falar um pouco sobre os tipos de investimentos que você pode fazer, para, assim, saber como fazer o dinheiro render. 

CDBs:

Certificado de Depósito Bancário. É um tipo de empréstimo que você faz aos bancos. Tem baixo risco e é assegurada pelo FGC (Fundo Garantidor de Créditos). 

LCI/LCA:

Letra de Crédito Imobiliário/Letra de Crédito do Agronegócio. Também são investimentos parecidos com o CDB. A diferença é que, ao escolher uma dessas opções, você investirá em ativos que financiam o setor imobiliário ou o agronegócio. Como o CDB, eles são assegurados pelo FGC. 

Títulos públicos:

Para entender este investimento, primeiro, você precisa saber o que é Dívida Pública. Dívida pública, basicamente, é a dívida que o governo contrai para financiar as despesas que não consegue pagar com a arrecadação de tributos nem com outras fontes de receita. 

Com esse tipo de investimento, você irá "ajudar" no pagamento dessas dívidas,  para financiar as atividades do governo federal em troca de rentabilidade. É considerado de baixo risco, pois a única forma de não receber esse dinheiro de volta é se o país quebrar economicamente.

5. Todo cuidado é pouco 

Não pense que suas respostas serão totalmente respondidas na internet. Investir é assunto sério e você não pode se deixar levar facilmente. 

Procure por fontes confiáveis, conhecidas pelo público. Não caia na conversa de que “fazer um investimento em uma área específica vai lhe trazer retorno financeiro rápido”, pois não é assim que funciona. 

Investir é um processo cuidadoso e que deve ser construído e ter acompanhamento. Então, já sabe, com a pesquisa, você  terá segurança para escolher a  aplicação financeira. 

Viu como é simples investir? Com essas cinco dicas você vai fazer seu décimo terceiro render. Basta planejamento. Coloque tudo no papel e se organize para começar a construir sua reserva financeira, para que os frutos do seu investimento sejam colhidos no futuro. Aproveite também e confira agora o último post do nosso blog sobre 7 informações importantes sobre fundo garantidor de créditos.

7 informações importantes sobre  fundo garantidor de créditos

COMENTÁRIOS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER