Atualmente muito se debate sobre o mercado financeiro e os benefícios de investir, mas assombrados pelo fantasma da dúvida, poucos brasileiros têm a iniciativa de dar o primeiro passo. De acordo com um levantamento feito em 2020, 4 entre 10 brasileiros que não investem, pesquisam no Google e têm interesse em saber como começar nessa jornada de investidor.

Se você se encaixa  nesse perfil e é iniciante no mundo das finanças, não se preocupe, pois vamos te levar para um passeio dentro desse universo, mostrando o atual cenário do mercado e quais as tendências para o próximo ano.

Agora, o primeiro passo é sanar as suas dúvidas e para isso você precisa conhecer o que é e como funciona o mercado financeiro. A seguir, vamos falar mais sobre isso.

O que é o mercado financeiro?

Você, com certeza, já ouviu falar a respeito, mas se não sabe exatamente do que se trata, hoje vamos te explicar como entender o mercado financeiro de forma simples. 

O mercado financeiro é o ambiente onde ocorre a negociação, compra e venda de ativos, como por exemplo, títulos, ações e fundos de investimento, entre outros. Nesse cenário há quem empreste o dinheiro, o investidor,  e quem o receba, o captador. No final, a pessoa ou empresa que toma o empréstimo deve pagar o valor com juros. É através dessa ação que o dinheiro do investidor gera rendimentos.

Basicamente, o mercado financeiro une no mesmo universo o investidor e quem quer receber investimento, possibilitando essa relação e movimentando a economia do país.

O que influencia o mercado?

Agora que você sabe o que é o mercado financeiro, vamos falar sobre  o que influencia o mercado do Brasil.

Quando se trata da nossa economia, diversos fatores impactam tanto positivamente quanto negativamente. Desde a política do país, os gastos públicos e até o consumo privado, tudo isso tem uma grande influência.

Nos últimos dois anos, outro fator que também modificou surpreendentemente o mercado financeiro foi a pandemia. Como o isolamento social, o fechamento do comércio e das fronteiras, as mudanças foram muitas e a economia enfrentou algumas dificuldades no processo.

Enquanto investidor, é preciso ficar por dentro de todas essas mudanças, e para isso é necessário acompanhar os indexadores de mercado, que são índices utilizados para fazer um comparativo de rentabilidade dos investimentos.

É através dele que você consegue acompanhar as operações do mercado e identificar o que é mais rentável para você aplicar o seu capital. Eles guiam os rendimentos e são como um termômetro da nossa economia.

Dentro desses indexadores financeiros, há três indicadores principais que vamos listar abaixo.

  • Taxa Selic: é uma taxa básica de juros da economia. Ela é usada pelo Banco Central do Brasil (BACEN) como um mecanismo de controle da inflação. Também influencia todas as taxas de juros do país, como as taxas de juros dos empréstimos, dos financiamentos e das aplicações financeiras.

  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA): ele mensura a inflação no Brasil (pelo IBGE), e é utilizado como indexador da remuneração de algumas aplicações em renda fixa.

  • Certificado de Depósitos Interbancários (CDI): são títulos emitidos por entidades, geralmente bancos, quando precisam de empréstimos de outras instituições financeiras. Esse é um dos indicadores financeiros mais conhecidos e a taxa de juros costuma ser semelhante à Selic.

Veja também:

CDB ou Poupança: onde investir? Um guia desmistificador!

Como está o mercado financeiro hoje?

A partir do momento que você conhece os três principais indicadores do mercado financeiro e do que se trata cada um deles, é mais fácil entender como eles influenciam  e definem o atual cenário econômico. 

Vamos começar a fazer esse panorama do mercado financeiro falando sobre a taxa Selic que foi uma das mais altas desde 2019. Mas o que significa isso na prática? Para quem investe, é hora de comemorar! 

Com o aumento da taxa Selic, há o aumento de juros e consequentemente um melhor rendimento do capital investido. Já para quem é captador e está à procura de empréstimo, essa não é a melhor circunstância. 

Já quando se trata do IPCA, a inflação no último ano ultrapassou a meta estipulada pela União. Esse é um cenário preocupante para quem investe, afinal a inflação significa a desvalorização do dinheiro e do poder de compra. E lembre-se: quanto mais alta a inflação, os riscos são maiores do seu rendimento ser perdido.

Referente à CDI há uma taxa para os bancos fazerem empréstimos entre si. Até o começo de dezembro de 2021 a porcentagem era de 7,65% ao ano, com a atualização da Selic para 9,25%, a taxa DI ficou em 9,15%. Se o CDI está nessa taxa, esse será também o rendimento do seu título.

Em geral, 2021 foi um ano instável para a economia que sofreu com a alta da inflação. 

Apesar da alta da inflação, que afetou a economia do país, os investidores buscaram saídas para se adequar e render o seu dinheiro. A seguir, vamos te apresentar essas soluções. Vamos lá?

E o que esperar para o próximo ano?

O novo ano traz a retomada de um mercado financeiro em recuperação e que se prepara para abraçar ainda mais as novas tecnologias. Com isso, as tendências não são poucas para quem quer acompanhar o universo econômico. Separamos três tendências que prometem modificar ainda mais o cenário que conhecemos atualmente. 

Democratização dos investimentos

Se antes havia a definição que apenas pessoas de maior poder aquisitivo pudessem investir e ter rentabilidade, 2021 mostrou que isso ficou para trás e o novo ano promete reforçar isso. Com os bancos virtuais e o grande debate sobre economia, houve uma transformação no mundo financeiro. 

As pessoas começaram a ter mais acesso e interesse sobre investimento e perceberam que mesmo com uma quantia menor, podem, sim, ter investimentos lucrativos. Esse é um caminho que apenas começou e em 2022 será ainda maior o número de investidores.

Experiência digital

Com certeza, a pandemia trouxe grandes mudanças na relação cliente e banco. Muitas instituições modificaram seu atendimento, passando para o digital, e as agências físicas ficaram em segundo plano. 

Em 2022, a tendência é que esse relacionamento virtual se estreite ainda mais, e aí entra a experiência do cliente. Em resumo: é acompanhá-lo para ver como ele se relaciona com a empresa. Com o virtual, é claro que todo mercado financeiro está ainda mais centrado na experiência do cliente.

Invisible Bank

Você já ouviu esse termo em algum lugar? Se a resposta for não, saiba que ele se tornará cada vez mais comum. Traduzindo, são os bancos invisíveis, ou seja, bancos on-line onde é possível fazer pagamentos, transações e empréstimos, com apenas um clique.  

O mercado financeiro vem se adequando à tecnologia e atualizando as suas ferramentas. O fato é que os bancos on-line são práticos e rápidos, conquistando cada vez mais brasileiros. E a grande tendência é que, em 2022, eles se tornem cada vez mais frequentes na nossa rotina.

E neste cenário, onde investir?

Se você quer dar o primeiro passo e começar a investir, listamos abaixo três opções de investimento que foram muito buscados em 2021 como meio de se proteger da inflação e ter o seu dinheiro rendendo com riscos mais baixos. Para você que quer saber como investir no mercado financeiro, essas são ótimas opções para começar.

Certificado de Depósito Bancário (CDBs):

Quando se trata de renda fixa, o CDB é um dos investimentos mais populares. É uma espécie de empréstimo que você faz às instituições financeiras e com isso traz rentabilidade ao seu dinheiro. 

Além de ter baixo risco, o CBD é assegurado pela proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). É importante lembrar  que esses títulos têm data de vencimento e normalmente quanto mais longo, mais atrativo o rendimento. 

Tesouro Direto:

Essa é uma opção ideal para quem quer começar investindo uma quantia menor. Em prática, é como se você emprestasse seu dinheiro e fosse pago pelo governo federal com juros.

É um investimento seguro e considerado de baixo risco, por isso um dos mais falados no mercado financeiro. E normalmente, quando falamos em fugir da inflação, dependendo do investimento escolhido, o Tesouro Direto pode ajudar a proteger seu patrimônio. 

Letra de Crédito Imobiliário/Letra de Crédito do Agronegócio (LCI/LCA):

Esses são rendimentos de renda fixa e considerados de baixo risco. É uma ótima opção para você que quer investir pouco e ver o seu dinheiro render. Um diferencial da LCI/LCA é que elas não sofrem a incidência do Imposto de Renda, pois você investirá em ativos que financiam o setor imobiliário ou o agronegócio.

Se você quer acompanhar mais sobre o universo financeiro em 2022 e ficar por dentro de todas as novidades do Sofisa Direto, assine nossa newsletter e acompanhe tudo sobre investimentos. 

Qual o valor mínimo para  começar a investir? Confira!

Comentários

Assine nossa newsletter