Se você já está na fase de escolher os tipos de investimento para investir o seu dinheiro ou está em busca de diversificar a sua carteira de investimentos, certamente a pergunta ”como escolher um bom fundo de investimento?” já passou pela sua cabeça, certo?

É bem comum esse tipo de questionamento, uma vez que, quando falamos em fundos de investimentos, estamos falando de um tipo de investimento coletivo onde vários investidores (também chamados cotistas) investem em diversos ativos simultaneamente. 

Outro diferencial dos fundos de investimentos é que, obrigatoriamente, eles precisam ser coordenados por gestores financeiros com alta expertise na área de investimentos. Este profissional é o responsável por tomar decisões importantes relacionadas aos fundos. E não é só ele, esse tipo de investimento conta com o gestor, administrador, custodiante, auditor e distribuidor.

Ah, o fundo de investimento tem outra peculiaridade: eles nem sempre estão abertos para compra de cotas (captação de recursos). Nesses casos, chamamos de fundos abertos para captação (quando os gestores estão captando recursos e o cotista pode solicitar a qualquer momento o resgate das suas cotas) e fundos fechados para captação (quando estão fechados para captação de recursos e para resgate de investimentos).

Pensando em todos esses pequenos poréns resolvemos trazer algumas dicas para te ajudar a escolher o melhor fundo de investimento de acordo com a sua necessidade. 

1. Conheça o seu perfil de investidor/suitability 

Quando se trata de investir, essa sempre será a dica número um para qualquer ação: conhecer o seu perfil de investidor é fundamental para identificar os melhores tipos de investimento para as suas necessidades. 

O perfil do investidor analisa diversas perguntas sobre situações que podem acontecer no mercado financeiro, de forma que seja possível entender o que é melhor e mais importante para você entre os principais conceitos do mundo dos investimentos: segurança, liquidez e rentabilidade. 

Saber o seu perfil de investidor é fundamental para evitar frustrações. Se você tiver baixa tolerância a riscos, por exemplo, não adianta investir em ações que têm maior índice de rentabilidade, porém, são de alto risco. 

Aqui no Sofisa Direto trabalhamos com 4 perfis de investidor:

Conservador

O perfil que não gosta muito de correr riscos. Para ele, a segurança é mais importante do que maiores retornos. Além disso, este perfil geralmente opta por investimentos com maior liquidez.

Moderado

Nem tanto risco e nem tanto conservadorismo. O perfil moderado é aquele que fica de olho no mercado, quer um pouco mais de retorno mas não quer correr grandes riscos. Ele geralmente prefere a renda fixa, mas, como quer um pouco mais de lucro, acaba fazendo um ou outro investimento em renda variável.

Arrojado

Esse perfil quer ter mais retorno a longo prazo, então aceita correr riscos mais elevados e investir em produtos com menos liquidez.

Agressivo

O foco é ver o dinheiro aumentar! Para isso, ele toma decisões com base na chance de ter mais rentabilidade. Ele realmente não tem problemas em assumir mais riscos para isso. 


Para você descobrir o seu, é só baixar o aplicativo do Sofisa Direto! Aqui, no nosso banco de investimentos, temos um Robô (Rota Financeira) que te ajuda a encontrar os melhores investimentos para o seu perfil. Falando em perfil de investidor, no aplicativo do Sofisa Direto, você também pode fazer o teste de suitability e  descobrir qual é o seu perfil de investidor! 

Leia também:

Como alcançar seus sonhos investindo em fundos de investimento de acordo com o seu perfil de investidor

2. Conheça os diferentes fundos de investimentos

Tão importante quanto conhecer o seu perfil de investidor, é conhecer um pouco melhor os tipos de fundos de investimentos. Esse conhecimento permite que você acompanhe melhor o mercado e as oscilações que consistem em cada fundo. 

Os fundos de investimentos são divididos entre: Fundos de Multimercado, Fundos de Renda Fixa, Fundos de Ações e Fundos Cambiais.

Cada fundo tem diferentes estratégias e diferentes riscos, por isso é bem importante conhecer cada um deles e entender quais estão associados ao seu perfil de investidor. Lembre-se sempre que o melhor fundo de investimento é aquele que atende a suas necessidades e objetivos a curto, médio e longo prazo. 

Conheça um pouco mais sobre os tipos de fundos: 

Fundos multimercado 

Permitem que você invista em várias categorias de ativos de uma só vez. Essas categorias podem ser: ativos de renda fixa, juros, moedas, ações e outros. Válido destacar que os ativos podem ser nacionais e internacionais. 

Fundo de ações 

São fundos que possuem no mínimo 67% da carteira em ações à vista, bônus ou recibos de subscrição, certificados de depósito de ações, cotas de fundos de ações, cotas dos fundos de índice de ações e Brazilian Depositary Receipts, classificados como nível I, II e III. 

Fundos de renda fixa

São os fundos compostos por diferentes ativos de renda fixa: CDB, LCI/LCA, letras financeiras, debêntures e títulos públicos. Neste caso, ao invés de investir em um único ativo de renda fixa, você está investindo em um conjunto de ativos que podem ter estratégias diversas. 

Fundos cambiais

São fundos onde você investe em moedas estrangeiras (dólar, euro, libra esterlina etc).

3. Defina o seu objetivo 

Assim como em todo tipo de investimento, para ter a melhor rentabilidade e conseguir extrair o melhor de cada fundo, você precisa definir o motivo pelo qual quer investir naquele fundo. 

Qual é o prazo do investimento que você deseja fazer? Curto, médio ou longo? Isso impacta diretamente na escolha do fundo, uma vez que a estratégia utilizada para cada tipo de investimento é diferente. Geralmente, os investimentos de curto prazo possuem estratégias um pouco mais conservadoras, enquanto os investimentos a médio e longo prazo possuem estratégias mais complexas. 

4. Escolha o fundo em que você irá investir

Agora que você já conhece o seu perfil de investidor, os tipos de fundo de investimento e já sabe os seus objetivos, é hora de finalmente escolher o fundo em que você quer investir. 

Este momento é extremamente importante e precisa ser feito com bastante atenção. Com tudo o que já falamos por aqui, já deu para notar que não é só escolher o fundo que você achar mais ”bonito” e investir, certo? 

Para te ajudar, aqui vai um checklist de coisas que você precisa levar em consideração (além dos pontos que já citamos acima) na hora de escolher um fundo:

Conheça o fundo

Procure informações sobre ele, leia com atenção o histórico de retorno dos últimos anos, entenda onde os recursos do fundo são alocados e de que forma. Reúna o máximo de informações possíveis para conhecer a fundo onde você irá investir o seu dinheiro. 

Conheça o gestor da carteira

Entenda melhor sobre o gestor da carteira, pesquise sobre a reputação deste gestor no mercado, sobre o desempenho e resultados dos fundos geridos por ele no presente e nos últimos meses, por exemplo. 

Entenda a rentabilidade do fundo

Estude diferentes períodos de rentabilidade do fundo, geralmente, históricos consistentes tem maior chances de ter bons resultados (mas isso não é uma verdade absoluta, novos fundos surgem o tempo todo e as oscilações mercadológicas existem). Mas são estudos, ok? A rentabilidade passada não é sinônimo de rentabilidade futura, sempre existem os riscos. 

Reúna as informações sobre resgate, liquidez, rentabilidade, riscos, taxas (principalmente as taxas de administração) e impostos.

Todas essas informações são essenciais para a escolha do fundo. Tê-las em mãos, permite que você possa fazer um comparativo entre os diferentes fundos e possa escolher aquele que se adequar melhor às suas necessidades e objetivos.

5. Defina o montante que você irá investir de forma diversificada

Agora que você já tem todas as informações sobre os fundos, já consegue definir em quais irá investir e consequentemente, o valor a ser investido. 

Nossa dica é: diversifique a sua carteira. Tente distribuir os seus recursos em diferentes fundos que possuam diferentes classes de ativos e, se possível, com períodos diferentes de resgate. Assim você não terá todo o seu dinheiro alocado em apenas uma opção. 

Ah, lembre-se que fundos diferentes têm valores diferentes de movimentação e de aplicação inicial. Essa também é uma informação importante na hora de escolher onde investir! 

Esperamos que este conteúdo tenha te ajudado a entender melhor como escolher o fundo de investimentos ideal para você! Aproveitando que estamos falando em fundos de investimento, confira o último post do nosso blog e entenda melhor sobre investimento financeiro! É só clicar aqui! 

E é claro, se você ficou com alguma dúvida, é só mandar para a gente nos comentários!  

Tudo sobre investimento financeiro: 4 maiores curiosidades

COMENTÁRIOS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER