Se você quer saber tudo sobre investimento financeiro para começar a montar a sua carteira de investimentos, com certeza tem diversas dúvidas em mente sobre o mercado financeiro, como investir, onde investir, como começar, se deve ou não usar uma corretora de seguros, não é verdade?

Às vezes, parece que de tanto estudar, as informações começam a se misturar e novas dúvidas vão surgindo, não é mesmo? 

Nesse caminho, muitos desistem de estudar e de conseguir de fato ter maior rentabilidade por meio de investimentos. Aqui, no Sofisa Direto, nosso objetivo é que você prospere mais e mais nas suas finanças! Por isso, hoje trouxemos 4 curiosidades que você precisa saber antes de começar a investir. 

Vamos lá?

1. O seu primeiro investimento precisa ser a sua reserva de emergência 

Independentemente da sua área de atuação ou do que você já viveu até hoje, uma coisa é certa: você já sabe que imprevistos acontecem e que, muitas vezes, esses imprevistos necessitam de dinheiro para corrigir/arrumar e fazer o que for necessário. 

Seja um resfriado forte que irá demandar a compra de medicação, um vidro quebrado na janela do banheiro, um pneu do carro furado, celular com a tela trincada ou até você perder o emprego. Se uma dessas coisas acontecer com você, já pensou no que fazer? 

A reserva de emergência serve justamente para estes momentos, ela deve cobrir as suas despesas a partir de 6 a 12 meses e em investimentos de alta liquidez, que permitam o resgate a qualquer momento (CDB - Investimentos de renda fixa com liquidez diária, são uma boa opção neste caso). 

Um ponto importante é que muitas pessoas pensam que o cartão de crédito pode ser uma garantia para estes momentos, mas é válido destacar que: ao invés de te ajudar, o cartão de crédito pode te atrapalhar. 

Em algum momento, a fatura vai chegar e você terá que pagar! O cartão de crédito não te empresta dinheiro, ele é uma forma de pagamento. 

Se as suas despesas mensais já são justas o suficiente para você não conseguir montar a sua reserva, imagine lidar com os custos das emergências? Concorda que pode virar uma bola de neve? Então, é justamente por isso que ela deve ser o seu primeiro investimento. 

2. Nem todo tipo de investimento é para todo mundo

Essa é uma verdade que você precisa entender logo de cara: nem todo mundo tem perfil para investir em todo tipo de produto. 

Por que isso? Porque investir tem a ver com objetivos, com perfil de investidor e com o seu momento de vida. 

Como alcançar seus sonhos investindo em fundos de investimento de acordo com o seu perfil de investidor

Se você quer investir mas não quer correr altos riscos, não adianta montar a sua carteira de investimentos com fundos de ações que são mais arriscados, como, por exemplo, que é característico do perfil arrojado, que tende a correr mais risco para obter maior rentabilidade. 

Por isso, saber o seu perfil de investidor é tão importante! O seu perfil irá te ajudar a escolher os melhores tipos de investimento para o seu momento de vida e para os seus objetivos a curto, médio e longo prazo. 

Aqui vão algumas sugestões para cada tipo de perfil investidor:

Conservador

Fundos DI (fundos de renda fixa), como o CDB (Certificado de Depósito Bancário, o CB é uma espécie de "empréstimo" que você faz para instituições financeiras que precisam captar dinheiro. É um investimento de baixo risco e a liquidez pode ser diária ou não

Moderado

LCI (Letras de Crédito Imobiliário) e LCA (Letras de Crédito do Agronegócio, que são investimentos de renda fixa, isentos do IR e geralmente, tem maior rentabilidade que o CDB. Fundos multimercado, que são investimentos em diferentes categorias de ativos (renda fixa, juros, moedas, ações e outros);

Arrojado

Produtos de renda fixa atrelados à inflação, multimercado e fundo de ações, que são pequenas frações que você pode comprar das empresas listadas na bolsa de valores.

Agressivo

Fundos de ações e multimercado. Aqui, os riscos são maiores, mas as chances de maior rentabilidade, também! 

3. Você precisa declarar seus investimentos no Imposto de Renda

O Imposto de Renda não é segredo para ninguém: para pessoa física (PF) ou pessoa jurídica (PJ), todo início de ano precisamos declarar nossos ganhos e despesas, e dentro dos ganhos, os seus investimentos também estão na lista de itens a serem declarados. 

É extremamente importante levar este ponto em consideração, pois em alguns casos você pode não ter o lucro esperado após as deduções do imposto. Cada tipo de investimento tem um valor para dedução, esse valor depende do montante investido e da quantidade de tempo da aplicação. 

É bem comum algumas pessoas desistirem de investir por medo de declarar o investimento no imposto de renda ou por achar que é muito complicado, mas não é! Não desista de investir por isso e tem uma outra coisa, nem todos os tipos de investimento são tributáveis: LCI e LCA, CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários, que é quando o banco "vende" financiamentos imobiliários para aumentar o caixa) e LHs (Letras Hipotecárias, são títulos de empréstimos que tiveram imóveis como garantia) são produtos isentos de tributação e por isso, devem ser declarados na ficha de Rendimentos Isentos e Não Tributáveis. 

4. A rentabilidade está diretamente associada ao risco e a liquidez da operação 

Rentabilidade

É aquilo que buscamos quando queremos investir. Podemos dizer que rentabilidade é a quantidade de dinheiro que você irá receber com todas as variáveis do seu investimento. Ela faz parte do tripé de investimentos que é composto por riscos, liquidez e rentabilidade. 

Por se tratar de um tripé, podemos afirmar que estes 3 itens são a base do investimento e que estão diretamente interligados. 

Riscos

Para falar de riscos dos investimentos, levamos em conta o seu perfil de investidor, uma vez que os riscos dependem do tipo de investimento. Via de regra, perfis conservadores optam por investimentos com menores riscos, enquanto os perfis arrojados são mais agressivos e sabem que em algum momento podem perder todo ou parte do investimento, nestes casos são diversos os riscos, como risco de crédito, riscos operacionais, riscos legais e etc. 

Liquidez

e maneira simplificada, podemos dizer que liquidez é a flexibilidade do seu dinheiro, ou seja, a capacidade de transformar o seu investimento em recurso/dinheiro. 

Pense no seguinte: investimentos com alta liquidez podem ser movimentados mais facilmente, geralmente tem menor rentabilidade enquanto os investimentos de baixa liquidez tendem a ter maior rentabilidade. 

Dentro deste cenário, é preciso entender quais são os seus objetivos com aquele tipo de investimento, assim você conseguirá escolher o melhor investimento para a sua necessidade. 

Agora que você já sabe de tudo isso, como escolher o melhor tipo de investimento para você? 

Comece definindo o seu perfil de investidor! Com o Sofisa Direto é bem simples e fácil, e você ainda conta com o Rota, o nosso robô que irá te ajudar a entender quais os melhores tipos de investimentos para o seu perfil e planos a curto, médio e longo prazo. 

Lembre-se dos exemplos que demos aqui neste post e escolha aquilo que estiver mais próximo do que você quer alcançar! Você pode começar devagar, investir produtos com liquidez diária até entender melhor como funcionam os rendimentos, use o Rota a seu favor e veja o seu dinheiro rentabilizar! 

Na semana que vem, vamos falar sobre 'Prazo de retorno do investimento!' Então fique de olho por aqui para não perder. Se você preferir, pode acessar nosso site, para conferir diversos outros conteúdos sobre o assunto!

E não se esqueça de mandar as suas dúvidas nos comentários, nós vamos te ajudar!

Acesse nosso site!

COMENTÁRIOS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER