Quando falamos em tipos de investimentos, a chance da palavra Poupança vir a tua mente antes de qualquer outro tipo de investimento é muito grande!

Mesmo aqueles que não começaram a investir desde cedo, com certeza já ouviram falar sobre a caderneta de Poupança, aquela conta que vinha atrelada à conta-corrente (quem lembra quando era só colocar o número da conta corrente + o 500 na frente?). 

São muitos anos ouvindo que precisamos guardar dinheiro para uma possível emergência (o que continua sendo uma verdade), mas que a melhor forma de fazer isso seria investindo na Poupança, certo? Afinal, antigamente não falávamos tanto em outros tipos de investimentos, havia um estigma muito grande de que só pessoas de alto poder aquisitivo poderiam investir. 

Bom, ainda bem que os anos passam e as coisas mudam, né? Atualmente, estamos investindo mais na educação financeira e, consequentemente, aprendemos que investir não é difícil e que todo mundo pode ter acesso a diversos tipos de investimentos, inclusive, alguns são tão seguros quanto a Poupança e possuem maior rentabilidade. 

Mas é ruim investir na Poupança?

Ruim é uma palavra muito forte, mas se você quer ver o seu dinheiro render, talvez a Poupança não seja a melhor opção para você. 

A palavra certa é o "talvez", visto que tudo depende do seu perfil de investidor e dos objetivos que você tem ao investir o seu dinheiro. 

Como assim? Quando falamos em investimento, existe um raciocínio que costumamos usar frequentemente: um investimento pode ser perfeito para uma pessoa, mas pode não ser para outra. 

Não existe um investimento que seja perfeito para todo mundo, os investimentos são diferentes, bem como os riscos, rentabilidade e liquidez, logo, algumas coisas que você precisa entender antes de descobrir o melhor investimento para você, é: qual é o meu perfil de investidor? Quais riscos eu estou disposto a correr? Qual é o meu objetivo com o meu investimento? Quanto tempo eu tenho para manter este valor investido?

A Poupança é uma opção para deixar o dinheiro em algum lugar além da conta-corrente, mas lembre-se que a rentabilidade dela não é muito alta.

Tenha isso em mente, pois é a regra válida para o mercado financeiro atualmente (2021):

  • Quando a taxa Selic passa de 8,5% ao ano, o rendimento da Poupança passa a ser de 0,5% ao mês + a Taxa Referencial (TR);

  • Caso a Selic fique abaixo dos 8,5%, o rendimento da Poupança passa a ser 70% da Selic + a TR. 

Em ambos os casos, o rendimento é baixo. Um outro ponto é que você sempre deve levar em consideração a data do aniversário do depósito antes de fazer um saque. 

Para você ter uma ideia, no ano de 2020, após o desconto da inflação, a Poupança teve um retorno negativo de 2,30%, foi a pior rentabilidade desde 2002, também foi o segundo ano seguido em que o investimento na Poupança perdeu para a inflação. 

Quando isso acontece, você, literalmente, perde dinheiro. Isso porque a inflação impacta diretamente no seu poder de compra. Se o valor que você investiu no ano não foi superior à inflação, você não só perdeu dinheiro, quanto reduziu o seu poder de compra. Entende? 

A Poupança não é o único produto financeiro de baixo risco que podemos investir, dependendo do seu perfil de investidor, os produtos podem ser em renda fixa, renda variável ou fundo de investimento. 

Se você realmente quer aprender como fazer render o seu dinheiro em investimentos diferentes da Poupança, leia este artigo até o final!

Leia também:

Como alcançar seus sonhos investindo em fundos de investimento de acordo com o seu perfil de investidor

1. Fundo de Renda Fixa

Investir em Fundo de Renda Fixa é excelente para você que quer investir e já começar diversificando a sua carteira. 

Nesse tipo de investimento, o investidor adquire cotas dos fundos. Um Fundo de Renda Fixa pode ter diversos cotistas e sempre é administrado por uma equipe especializada na gestão de investimentos. 

O Fundo de Renda Fixa é mais uma opção dentre as diversas existentes dentro dos  Fundos de Investimentos.

No caso dos Fundos de Renda Fixa, você irá investir apenas em ativos de Renda Fixa, como CDBs e Tesouro Direto, por exemplo. Entres as opções disponíveis no mercado, o gestor da carteira irá escolher conforme as regras do fundo e a estratégia de gestão. 

Por se tratar apenas de Fundos em Renda Fixa, dependendo da estratégia, ele acaba tendo um risco mais baixo do que outros Fundos e é considerado conservador. 

2. Tesouro Direto

Uma ótima opção para quem quer começar a investir com pouco. Investir no Tesouro Direto é como emprestar dinheiro para o Governo Federal e receber o dinheiro de volta com juros.  

É considerado um dos investimentos mais seguros do mercado, visto que a única forma de você não receber o seu dinheiro de volta é se o Governo quebrar completamente. Por isso, é considerado um investimento de baixo risco. 

Outra vantagem desse investimento é que dependendo do investimento que você escolher, ele consegue proteger o seu patrimônio da inflação. São diversas as modalidades a serem escolhidas dentro do Tesouro: títulos prefixados, pós-fixados indexados à inflação e pós-fixados indexados à taxa Selic.

Neste caso, basta você analisar os números e escolher aquele que melhor se adequa à sua necessidade e objetivos.

3. CDB

Não é tão popular quanto a Poupança, mas o CDB também é uma ótima opção para investir. Enquanto o Tesouro Direto é uma forma de emprestar dinheiro para o Governo, o CDB, por sua vez, empresta dinheiro para instituições financeiras. 

Essa modalidade de investimento é considerada de baixo risco porque é assegurada pelo FGC (Fundo Garantidor de Créditos), tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas.

No CDB, você pode escolher entre prefixado ou pós-fixado, a escolha dependerá do seu perfil de investidor e das suas necessidades. 

4. LCI/LCA

As Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito Agronegócio (LCA) também são excelentes opções para você que quer ver o seu dinheiro render.

Uma das grandes vantagens das LCIs e LCAs quando comparamos com outros investimentos é que elas não sofrem a incidência do Imposto de Renda. Elas podem ter liquidez diária (após o prazo mínimo do investimento), ou podem ser resgatadas no vencimento do papel. 

São investimentos que ajudam a economia a girar, são parte de dois setores da economia que estão em constante expansão: Agronegócio e o setor Imobiliário, logo, existe uma grande chance do seu lucro ser maior. 

E aí, conseguiu entender melhor como fazer seu dinheiro render em investimentos além da Poupança? 

Sempre tente investir em produtos que tenham rendimentos superiores à inflação, leve em conta o seu perfil de investidor e os seus objetivos, bem como a rentabilidade, os riscos e a liquidez dos seus investimentos. Combinado?

Se você quiser aprender ainda mais sobre esse tema, pode clicar aqui e conferir um artigo que colocamos com as vantagens dos produtos financeiros sobre a Poupança.  E se você ficar com alguma dúvida, não esqueça de mandar nos comentários!

Quais as vantagens dos produtos  financeiros sobre a poupança?

COMENTÁRIOS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER