Poupar dinheiro, apesar de ser uma tarefa interessante, nem sempre é fácil para grande parte da população. Com tantas contas no vermelho, cartão de crédito para pagar e boletos a serem pagos todo mês, tarefas como economizar dinheiro acabam não se tornando uma prioridade.

Mas, para aqueles que pretendem guardar dinheiro para utilizar a médio e longo prazo, existem algumas opções rentáveis que podem te ajudar neste desafio. Pensando nisso, trouxemos hoje um conteúdo imperdível para auxiliar a conciliar todos os seus gastos com uma alternativa para gerar lucro!

Confira agora qual o melhor caminho: economizar dinheiro na poupança ou investir?

Guardar dinheiro na poupança é bom?

Quando falamos em poupança, é comum pensarmos nesse dinheiro guardado como uma forma de prevenção, quase como uma reserva de emergência, ou até, usar esse valor no futuro para gastos como férias, viagens, aposentadorias, entre outros, evitando deixá-lo parado nas contas correntes sem gerar juros.

Um dos motivos que justificam essa ação também, é a disponibilidade de para utilizar determinada parte da quantia quando necessário. Porém, apesar disso, a poupança pode ser o caminho menos produtivo para quem tem planos futuros com o dinheiro.

Um dos principais problemas desse tipo de caderneta é a sua baixa rentabilidade, fator que não ajuda quem pretende fazer com que o dinheiro acumulado gere maior rentabilidade. Além disso, a poupança só terá rendimento uma vez ao mês caso você não mexa no dinheiro. Com o tempo, a inflação pode ser uma grande vilã neste caso.  

Aqui vai um exemplo prático para você entender melhor:

Vamos supor que você no mês de janeiro, você viu um produto muito bacana, que é a cara da sua mãe. Este produto custa 500 reais no mês de janeiro e você decidiu guardar este dinheiro na poupança para comprar o produto em maio, no dia das mães.

De janeiro a maio, são 4 meses de diferença, certo? Nesse período, existe uma grande possibilidade deste mesmo estar custando um outro preço, provavelmente maior do que custava em janeiro. Esse é um reflexo da inflação agindo em uma poupança que não a acompanha.

E afinal, é melhor poupar dinheiro ou investir?

Se seu objetivo é guardar dinheiro, a poupança lhe serve bem. Contudo, se você tem planos a médio e longo prazo, buscar fazer seu dinheiro render e trabalhar para si próprio, investir é o caminho ideal para atingir seus objetivos.

Isso porque, diferente da carteira de poupança, os investimentos possuem diferentes fins e riscos, mas são exponencialmente mais rentáveis em comparação aos valores oferecidos para manter o dinheiro guardado na carteira de poupança.

A importância do planejamento financeiro

Para atingir qualquer objetivo, o planejamento é tópico fundamental e indispensável. Desta forma, é possível garantir que todo dinheiro que entre possua um fim, mas que certos investimentos possam entrar na lista de prioridades para que essa pessoa consiga fazer o seu dinheiro trabalhar por si só, visando o lucro.

Planejar implica diretamente em estudar o universo financeiro para compreender as diferentes opções, riscos, benefícios e estar preparado para não cometer grandes erros com o seu dinheiro.

Precisa ser um expert para começar a investir?

Para começar a investir, é preciso antes desmistificar a ideia de que isso é uma ação restrita a pessoas que trabalham na área financeira e possuem grande prática em atividades como investir em bolsas de valores.

Hoje em dia, com a análise técnica de profissionais capacitados para auxiliar nessa jornada, podemos aprender com muito mais facilidade  como investir em diferentes tipos de produtos, sejam eles considerados de baixo risco (como CDB) ou até investimentos em ações e operações na bolsa, comprar e vender ações e tantas outras formas de lidar com investimentos.

Com a devida dedicação para compreender os melhores caminhos a serem seguidos de acordo com o seu objetivo, é possível começar a aplicar com valores baixos em investimentos considerados mais simples.

Veja também:

Educação financeira infantil: guia com dicas importantes

Antes de tudo, saiba qual seu perfil de investidor

Antes de começar sua jornada, é preciso identificar qual é o seu perfil como investidor. Abaixo, separamos a descrição de cada um para você já entender em qual se encaixa melhor e começar a direcionar suas pesquisas de acordo com o seu intuito. Confira e saiba como investir melhor!

  • Conservador: focado em investimentos de baixo risco, pessoas com esse perfil buscam sempre maneiras de investir de forma a preservar seu capital. Avessos a situações pouco previsíveis, geralmente são pessoas que estão iniciando agora sua caminhada nos investimentos e por essa razão não pretendem se aventurar antes de compreender bem como funcionam cada uma das cadernetas.

  • Moderado: Sendo um meio termo entre o conservador e o arrojado, são investidores que apesar de valorizarem a segurança, possuem uma margem de tolerância a investimentos que podem trazer algum risco. Desta forma, consegue conciliar o melhor dos dois mundos, evitando exposições excessivas mas buscando trabalhar de maneira mais ousada para atingir um melhor desempenho e rentabilidade.

  • Arrojado: O investidor que se identifica como arrojado possui como principal característica a coragem para entender e aceitar correr riscos para buscar resultados cada vez melhores. Por estar mais ligado e ativo dentro do mercado financeiro, é comum que os investidores possuam reservas de emergências, justamente para não arriscar todo seu patrimônio sem possuir um valor garantido. 

  • Agressivo: dentre todos, o mais ousado dos perfis! De forma objetiva, o objetivo desse investidor é conseguir aumentar o seu lucro, focando seus esforços nos negócios que oferecem maior rentabilidade. Para ele, os riscos não são problema, já que o objetivo fala mais alto.

Não sabe qual é o seu? Não se preocupe, no app do Sofisa Direto você pode fazer o teste de Suitability e descobrir qual é o seu perfil de investidor!

Principais investimentos para iniciantes

Agora que você compreende em qual dos perfis está inserido, chegou a hora de conhecer os diferentes investimentos para escolher por onde começar a investir e saber qual é o ideal para atingir seus objetivos!

1. Fundos de investimento de renda fixa

Os fundos de investimento de renda fixa são voltados para os investidores tidos como conservadores. Para investir nesse tipo, é preciso que pelo menos 80% da carteira seja composta por ativos de títulos públicos ou privados de renda fixa.

Por se tratar de algo fixo, é um tipo de investimento que agrega maior segurança, mas, consequentemente, não oferece uma rentabilidade muito alta. Ainda sim, para você que está começando a conhecer mais sobre o universo de investimentos, pode ser uma excelente oportunidade.

Um dos principais diferenciais desse tipo de investimento, é a existência de um gestor de carreira que é responsável por gerir o fundo em si. Logo, quem vai investir não precisa se preocupar com burocracias, já que um profissional cuida da parte burocrática e estratégica, de acordo com as solicitações e objetivos do cliente.

2. Tesouro direto

Criado pelo Tesouro Nacional, esse tipo de investimento foi pensado para democratizar e popularizar o acesso aos títulos públicos. Funciona da seguinte forma: o investidor compra um título para emprestar dinheiro ao governo, logo, trata-se de um empréstimo para o próprio governo.

Os principais benefícios desse investimento consistem em:

  • Opções com variadas rentabilidades;
  • Diferentes tipos de indexadores  para investimentos (Selic, pré-fixado e IPCA);
  • Variados prazos de vencimento;
  • É considerado um dos investimentos mais seguros que existem atualmente.

3. CDB

De forma simplificada, o CDB funciona como um empréstimo que você faz ao banco. No momento da negociação são definidas questões como rentabilidade, valor a ser emprestado, entre outros. Com isso, este se torna um bom investimento principalmente por oferecer segurança e previsibilidade, dois itens importantíssimos para quem está começando e ainda sente certa insegurança.

Invista com uma instituição financeira confiável

Se seu objetivo é rentabilizar o seu dinheiro e fazer dele uma fonte de renda a longo prazo, é preciso buscar instituições financeiras que possam te ajudar e esclarecer dúvidas sobre o investimento escolhido.

Com o auxílio de instituições especializadas, como os bancos de investimentos, você poderá fazer investimentos mais seguros, com maiores e melhores chances de rentabilidade. Por isso, antes de fazer aplicações, busque bancos confiáveis.

Essa pesquisa vai te trazer mais segurança e vai te ajudar a descobrir a desvendar questões. Enquanto isso, leia nosso post anterior e saiba: Surfar na onda dos investimentos ou mergulhar de cara? Qual o melhor para você? Confira agora!

Surfar na onda dos investimentos  ou mergulhar de cara?

Comentários

Assine nossa newsletter