Investir dinheiro da forma certa é o melhor jeito de conseguir estabilidade financeira, tanto no presente quanto para o futuro. Porém, as dúvidas sempre surgem na hora de investir, mesmo para aqueles mais experientes no assunto. É importante estar atento a alguns fatores antes tomar decisões, como decidir entre investimentos de curto e longo prazo.

Na hora de escolher onde aplicar o dinheiro, variáveis como quantidade disponível para investir, o tempo que você está disposto a esperar para ter a renda e qual o objetivo do investimento devem estar claras. Levar esses fatores em consideração é crucial para traçar um planejamento de investimentos seguro e rentável.

Para entender melhor sobre os tipos de investimento, principalmente considerando o tempo, confira o nosso post de hoje. Veja nossas dicas e acabe de vez com suas dúvidas!

Investimentos em curto prazo

São considerados investimentos em curto prazo aqueles que oferecem um retorno financeiro em um período de até 1 ano, conforme conceito difundido na teoria de contabilidade.

O tipo de perfil para esses casos é, principalmente, o de investidores conservadores e moderados. São as pessoas que não querem se arriscar e almejam segurança em relação ao dinheiro investido.

Esse tipo de investimento é ideal para quem quer ter dinheiro para realizar objetivos em um curto período de tempo, como fazer uma viagem nas férias, trocar os móveis da casa ou dar uma boa entrada na compra de um automóvel.

Agora, conheça os melhores tipos de investimento em curto prazo:

LCI e LCA

LCIs são as Letras de Crédito Imobiliário, títulos oferecidos pelos bancos que fomentam o mercado imobiliário.

A principal vantagem da LCI é que ela é isenta do Imposto de Renda para pessoa física, aumentando a renda do investidor. Além disso, o risco para esse tipo de investimento é considerado baixo.

Assim como a LCI, outra opção de investimento são as LCAs — Letras de Crédito do Agronegócio, que têm características muito parecidas, a diferença é que os títulos são emitidos após investimento no mercado do agronegócio.

Em ambos os casos, o prazo mínimo para recuperação do investimento é de 90 dias.

CDB

Os Certificados de Depósito Bancário também são considerados de baixo risco e recomendados para quem quer deixar o dinheiro aplicado independentemente do prazo. Uma das vantagens é, inclusive, a liquidez diária. Os títulos podem ser prefixados ou pós-fixados, ou seja, com taxa de juros variáveis ou não até a data de vencimento.

Os títulos pós-fixados geralmente são indexados ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Para render mais, o ideal é encontrar bancos que remunerem algo em torno de 100% do CDI. 

Vale lembrar que os títulos CDB também são indicados para investimentos em médio e longo prazo. O investidor consegue fazer seu dinheiro render mais nos títulos com data de vencimento mais distantes, como nos CDBs de 5 anos.

Além disso, esses títulos possuem alíquota de Imposto de Renda regressiva, fazendo com que o investidor pague menos pelo imposto à medida que o dinheiro fica mais tempo aplicado. Lembrando que o CDB possui a mesma garantia da Poupança, em que aplicações até R$ 250 mil são garantidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Poupança

A Poupança é o tipo de investimento que já teve seu momento de preferência entre os brasileiros. Afinal, possui liquidez diária e o dinheiro pode ser resgatado ou transferido a qualquer momento.

Acontece que a Poupança tem uma taxa de rendimento, em geral, mais baixa em relação aos CDBs e, em épocas de alta da inflação, você pode até perder poder de compra. Isso porque o dinheiro aplicado na Poupança pode render menos que a inflação. Se, quando investido, seu dinheiro era suficiente para comprar determinado carro, 12 meses depois a mesma quantia pode não ser o bastante para adquirir o mesmo veículo. Portanto, pense bem antes de deixar o dinheiro na Poupança e considere investir em opções que oferecem rendimento acima da inflação.

É importante lembrar que esses investimentos também funcionam como investimentos em longo prazo. Afinal, o vencimento dos títulos pode levar anos ou você pode simplesmente continuar reaplicando o dinheiro no investimento e obter o retorno só lá na frente. A duração do investimento é relativa ao seu objetivo e necessidade!

Investimentos em longo prazo

Os investimentos em longo prazo são aqueles em que o investidor acessa seu dinheiro em prazos maiores à data da sua aplicação. São considerados de longo prazo porque precisam de mais tempo para que sejam de fato rentáveis para o investidor.

Os objetivos podem ser, por exemplo, comprar um imóvel novo, pagar a faculdade do filho recém-nascido ou até mesmo criar uma estabilidade financeira para a aposentadoria.

Veja algumas boas opções para essa modalidade de investimento:

Tesouro Direto

Os títulos comprados via Tesouro Direto são opções interessantes para resgate em longo e até em médio prazo — há opções de títulos com vencimento em 2 anos e outros em 20 anos. O risco de investimento é considerado baixo, porque o Governo Federal é o emissor do título. 

Os títulos comprados no Tesouro podem ser prefixados ou pós-fixados. Caso você note um ciclo de queda nas taxas de juros e da inflação, é indicado investir nos prefixados. Os títulos LTN e NTN-F são exemplos que atendem a essa situação. Já em momentos de alta dos juros, os títulos pós-fixados tendem a ser mais atrativos, como o Tesouro Selic e o Tesouro IPCA +.

Assim como os CDBs, o Imposto de Renda sobre os títulos também diminui conforme o tempo da aplicação.

Ações

Para investidores que têm perfil mais arrojado e possuem propensão de aceitar maiores perdas para alcançar maiores ganhos, uma alternativa é o investimento em ações na bolsa de valores. Isso porque a oscilação no preço das ações depende de variáveis da empresa investida e uma empresa está sujeita a maiores oscilações do que a economia de um país.

Lembre-se de que é necessário pesquisar e conhecer a empresa na qual você vai investir. Saiba seu histórico, o histórico de variação dos preços no passado, sua credibilidade, solidez e, principalmente, sua potência de crescimento e expansão.

Para diminuir o risco dos seus investimentos, é muito importante estudar e acompanhar rotineiramente a movimentação da bolsa e das ações, principalmente do setor em que estiver investindo. Bem informado, você investe com mais consciência e certeza.

Debêntures Incentivadas

Debêntures Incentivadas são títulos de crédito para empresas realizarem obras de infraestrutura. Nesses casos, o investidor aplica o dinheiro que será utilizado na realização de uma obra.

As debêntures de projetos considerados como básicos e prioritários pelo Governo — como construção de rodovias, hospitais, portos etc. — são isentas de IR, o que atrai muitos investidores.

Além disso, são consideradas bons investimentos em longo prazo porque os valores dos títulos são ajustados de acordo com a inflação (IPCA + juros) ou com a taxa básica de juros (CDI + juros). Vale ressaltar que esse tipo de investimento, diferentemente do CDB, não é garantido pelo FGC. Ou seja, em caso de calote da empresa o investidor pode não resgatar o valor investido.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre alguns tipos de investimento, comece seu planejamento. Analise sua disponibilidade financeira, deixe claro o objetivo do investimento e estabeleça um prazo para o retorno financeiro. Como você viu, considerar o tempo, entre curto e longo prazo, é fundamental! Com base nesse planejamento, procure pelas modalidades de investimento que mais se encaixam nas suas condições e necessidades.

Achou nossas dicas importantes? Conte para a gente sua experiência com investimentos. Comente também caso tenha ficado alguma dúvida!

Assine nossa newsletter

Você pode cancelar o recebimento a qualquer momento, clicando apenas no link "cancelar inscrição" nesses e-mails ou entrando em contato conosco. Clique aqui para acessar nossa política de privacidade.