Chegou o momento de avaliar sua saúde financeira e, durante sua análise, você percebeu que assina diversas plataformas de streaming, mesmo que não as use. Essa é uma realidade bastante comum para diversas famílias, principalmente em uma época que existem muitas opções com conteúdos diferentes e, para não ficar de fora das novidades, você quer acompanhar tudo ao mesmo tempo.

Cada uma das plataformas de streaming cobra um valor por sua assinatura, que pode variar R$ 8,99 a mais de R$ 50. O que parecia uma boa estratégia para economizar com a TV a Cabo, pode sair mais caro que a assinatura de um plano de TV. Depende de quantos e quais plataformas você assina. Mas qual o impacto desses gastos nas suas contas? Como essas assinaturas podem afetar sua saúde financeira? Como criar um projeto de organização financeira para reduzir as despesas? São essas algumas das perguntas que vamos responder nesse artigo. Prepare-se e boa leitura!

Parecia economia, mas era cilada

Quem nunca pensou em estar fazendo o melhor dos negócios e, no fim, acabou pagando o mesmo ou mais do que pagaria? Isso pode acontecer quando falamos, também, das plataformas de streaming. 

O que parecia a solução para reduzir despesas com a TV a Cabo, hoje se tornou um grande mar de possibilidades em que, se você não tiver uma organização financeira eficiente, você acaba se afogando. Cerca de 98% dos usuários de internet consomem conteúdo por streaming, segundo uma pesquisa da Kantar Ibope Media. O que acontece com mais frequência é que um único streaming ainda não consegue satisfazer o usuário e, por isso, é comum que se tenha mais de uma assinatura. 

Seus gastos com streaming comprometem sua saúde financeira? Avalie!

A grande questão é que, nessa soma, o valor gasto acaba sendo o mesmo ou até maior do que seria gasto com a TV a cabo, por exemplo. Se pegarmos a somatória dos valores das 10 plataformas de streaming mais populares no Brasil, o valor mensal gasto para manter essas assinaturas seria de cerca de R$ 285. Se os gastos com streaming parecem assustadores quando avaliamos o valor mensal, o susto é ainda maior quando chegamos ao valor anual, que chega ao valor próximo de três salários mínimos brasileiros. 

Veja também:

Reserva financeira: um guia de como usar bem seu dinheiro.

Mas qual a solução? Devo parar de gastar com o lazer?

É claro que você não precisa deixar de consumir conteúdo ou deixar de lado seu lazer e entretenimento. Uma boa ideia para reduzir os gastos com streaming é avaliar dentre as plataformas qual tem a maior quantidade de conteúdo que seja de seu interesse e planos mais acessíveis

Seus gastos com streaming comprometem sua saúde financeira? Avalie!Assim você consegue manter seu lazer e, ainda, estabelecer uma organização financeira que permita que você possa alcançar seus objetivos pessoais.

Transforme seus gastos em rendimentos

No momento de avaliação de sua saúde financeira e criação de um sistema de organização financeira, avalie a opção de utilizar os valores gastos com streaming em investimentos. Dessa forma, ao invés de “perder dinheiro”, você pode transformá-lo em rendimentos

E engana-se quem pensa que é preciso ter muito dinheiro para começar a investir. No Sofisa Direto, por exemplo, você pode começar com pouco e direcionando seus investimentos para fundos de investimento que apresentem a melhor rentabilidade para que você atinja seus objetivos pessoais

Abra agora mesmo sua conta e veja como seu dinheiro pode render de verdade.

Nova call to action

 







COMENTÁRIOS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER