O Sofisa Direto quer te conhecer melhor

Vamos lá!

Quando você ouve a palavra "investimento", automaticamente, deve pensar em quais as formas de investimentos que estão ao seu alcance. As aplicações de renda fixa, normalmente, são buscadas porque são mais acessíveis e podem representar uma ajuda financeira.

Para tomar uma decisão, é preciso dispor de tempo e aproveitar toda informação disponível para que sua escolha seja a melhor possível! Por isso, ao tomar a decisão de investir, é preciso escolher o melhor tipo de aplicação que você deve fazer! 

Pensando nisso, resolvemos criar este blog post que vai tirar suas dúvidas acerca dos investimentos dessa modalidade e como eles podem te ajudar financeiramente! Mas você sabe o que significa renda fixa?

Olha o que você vai ver por aqui: 

E não se esqueça de ler até o fim para aproveitar ao máximo a sua leitura!

O que é renda fixa

Renda Fixa são investimentos cujo retorno pode ser previsto, independentemente do período em que for investido e sob quais condições eles forem estabelecidos. Os índices sob os quais eles serão remunerados também podem ser predeterminados.

A previsibilidade desse tipo de investimento é uma característica que atrai investidores com perfis conservadores ou moderados, pois o risco a correr nesses casos são mínimos e possíveis de serem calculados. 

Podem ser prefixados ou pós-fixados conforme o modo como serão remunerados. Os prefixados têm a taxa de rendimento acordada antes de se iniciar a aplicação. Nos pós-fixados, o dinheiro renderá de acordo com um índice, como inflação ou o CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

Essas são as duas possibilidades para investir nesses títulos! Ou seja, você já pode iniciar uma aplicação sabendo quanto irá receber no ato do resgate ou pode prever a rentabilidade de acordo com a taxa aplicada no decorrer do tempo. 

Investimentos de renda fixa prefixado e pós-fixado 

É muita informação, não é mesmo? Entenda melhor nesses dois exemplos: 

Prefixado 

Você resolve adquirir um título que vai render 5% ao ano, então, decide aplicar R$ 1.000,00 nesse título. Como ele é de renda fixa, você prevê que receberá, anualmente, o equivalente a 5% do valor investido, que é equivalente a R$ 50,00.

Pós-fixado 

Mas se você resolver investir em um título que será resgatado ao final de um ano, remunerado por um índice que você não tem como prever, como é o caso da inflação. Os mesmos R$ 1.000,00 vão render, você só não sabe quanto. 

Como você pode ver mais claramente, estamos lidando com investimentos previsíveis. Se emoção não é o seu forte, então, o ideal para você é um tipo de investimento seguro! Mas existem mais motivos para investir em títulos desse tipo? 

Por que investir em títulos de renda fixa?

Rentabilidade  

O primeiro motivo é saber que você está negociando com prazos e rentabilidades bem definidas. Logo, não há muitas surpresas! É claro que, a depender do tipo de título que você adquirir, você poderá obter mais rendimentos do que o esperado, mas nada que extrapole as expectativas.

Segurança 

Perder dinheiro, nem pensar! A chance de ver o seu dinheiro diminuir nessa categoria de investimentos é muito difícil. Diferentemente do que ocorre com os rendimentos de renda variável, em que há a possibilidade de perder todo o valor investido, aqui, a probabilidade de isso acontecer é praticamente nula. Um dos títulos mais seguros que existem são os títulos públicos. 

Quanto aos investimentos em títulos privados, é preciso estar ciente de que, para garantir o retorno do seu investimento, existe o FGC (Fundo Garantidor de Créditos), que é assegurado um valor de R$ 250 mil por CPF (Cadastro de Pessoa Física) por instituição financeira.  

Sabendo disso, é possível diversificar sua carteira obtendo rendimentos em diversos títulos, públicos ou privados.

Tributação 

Os investimentos de renda fixa podem ser tributados por IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras) e pelo Imposto de Renda, mas alguns investimentos, como Debêntures e Fundos possuem regras de tributação específicas.

Quando os títulos são tributados, eles são, em geral, deduzidos do valor dos investimentos antes do resgate. Então, não é necessário realizar cálculos para efetuar o pagamento dos impostos, já que eles são de responsabilidade das instituições que emitem os papéis. 

Veja também:

Investir em títulos de renda fixa pode ser muito seguro e rentável, mas combina com você? Você sabia que o ano que você nasceu pode definir seu perfil de investidor? Para saber mais, acesse nosso ebook sobre: Tipos de investidores: dos Baby Boomers a Geração Z.

E-book: Tipos de investidores: dos Baby Boomers à Geração Z

A poupança é um investimento de renda fixa?

Sim, até a poupança é um título de renda fixa! Você sabia disso? A poupança é corrigida pela TR (Taxa Referencial) e pela Taxa Selic, não é tributada pelo Imposto de Renda e, infelizmente, não possui bons rendimentos. 

Quando a Selic está abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento equivale a 70% da taxa acrescido da variação da taxa referencial (TR). E quando ela ultrapassa os 8,5%, a rentabilidade passa a ser de 0,5% ao mês mais a TR – ou 6,17% ao ano mais a TR. Com base nisso, é importante sempre saber a data de aniversário da poupança.

Mesmo com rendimentos tão baixos, é válido pensar na possibilidade de deixar seu dinheiro na poupança, pois, mesmo que os rendimentos não sejam grandes, ainda são mais viáveis que não guardar dinheiro algum.

Se você está pensando em realizar uma viagem ou outros objetivos, você pode começar a pensar em colocar esse dinheiro na poupança ou, se preferir, pode ler até o final para descobrir outras possibilidades de ter seu dinheiro rendendo de forma segura. 

Se você já está no processo de educação financeira, já sabe da importância de realizar um planejamento financeiro que tenha como objetivo movimentar seu dinheiro! Por isso, vamos dar algumas dicas de investimentos e de como investir em renda fixa disponíveis no Sofisa Direto

Investimentos de renda fixa

CDB (Certificado de Depósito Bancário) 

O CDB é um investimento de renda fixa que funciona, basicamente, como um empréstimo às instituições financeiras. Você adquire títulos emitidos pelos bancos que, normalmente, remuneram esses títulos com a taxa CDI (Certificado de Depósito Interbancário). 

São várias as instituições financeiras que emitem CDB, e você pode adquirí-las, aliás, com o intuito de resgatar a qualquer momento. Normalmente, esse título é um dos queridinhos da comunidade investidora.

Muito mais rentável que a poupança, eles são remunerados nas seguintes categorias: 

  • CDB Pós-Fixado: é o tipo mais comum, no qual o investidor recebe um percentual da variação de um índice. 
  • CDB Prefixado: nesse caso, a taxa de juros é definida no momento da aplicação. 

  • CDB IPCA: são vinculados ao IPCA mais um acréscimo de juros prefixados. Ou seja, além da manutenção do poder de compra do seu dinheiro com a correção pela inflação, é possível obter um ganho real no período. 

LCI & LCA 

LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito Agronegócio) são títulos lastreados em créditos imobiliários e do agronegócio, respectivamente. 

Além de ser uma aplicação que não é tributada pelo Imposto de Renda para pessoas físicas, você ainda conta com a garantia de R$ 250 mil do FGC (Fundo Garantidor de Créditos). Para obter maiores rendimentos, é interessante investir nesse tipo de título a longo prazo. 

Fundos de Renda Fixa 

São inúmeras as possibilidades desse tipo de investimento. Você pode encontrar uma boa variedade no Sofisa Direto para diversificar sua carteira de investimentos.  

Um exemplo é o MAPFRE FI RENDA FIXA, que consiste na alocação em títulos de emissões bancárias e debêntures de alta liquidez e baixo risco de crédito privado.

Se seu perfil de investidor é arrojado ou agressivo, talvez, você prefira investimentos de renda variável. Apesar de serem menos seguros, esses títulos podem oferecer alta rentabilidade e costumam demandar, também, mais atenção. 

Para aprender ainda mais sobre investimentos, acompanhe nosso blog e leia o post Entenda como funciona a renda variável nos investimentos e escolha o investimento que mais combina com você! 

Entenda como funciona a renda  variável nos investimentos 

COMENTÁRIOS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER