Educação é a principal chave para um futuro de sucesso. Sem uma formação adequada e um ambiente propício ao desenvolvimento de habilidades, dificilmente uma criança ou jovem vai alcançar seus próprios objetivos. Por isso, os pais se esforçam tanto para pagar a faculdade dos filhos quando o momento chega. Porém, você pode não ter esse dinheiro disponível todo mês quando a mensalidade chega. Sendo assim, é preciso guardar um pouco a cada dia com antecedência.

Ter um plano de economia é fundamental para que seus filhos tenham uma boa educação. Sem isso, é provável que eles cheguem no ensino superior sem os recursos que precisam para formação ou que tenham que restringir suas escolhas.

A fim de evitar esse problema, vamos falar um pouco mais sobre investir com o objetivo de juntar o dinheiro para a educação dos filhos. Acompanhe!

Como investir melhor para pagar a faculdade dos filhos?

Comece o quanto antes

Muitas pessoas começam a juntar a quantia necessária para financiar o ensino superior dos filhos bem antes da faculdade. Mesmo quando uma criança acaba de nascer, já é uma boa hora de começar a economizar. Afinal, quanto maior for o tempo disponível para juntar o dinheiro, menor será o esforço diário a ser realizado.

Dependendo do valor estimado, pode ser necessário começar até antes do nascimento. Se você já possui outro fundo de emergência preparado, lembre-se de que esses dois devem ser contados separadamente. A economia para o ensino superior tem um propósito bem diferente do fundo de emergência e você deve recorrer a este último quando algo ocorrer, não ao primeiro.

Faça aplicações longas

Juntar dinheiro para pagar a faculdade dos filhos, como já dissemos, requer anos de economia. Porém, isso não significa que durante todo esse tempo você terá apenas despesas crescentes. Pelo contrário: um investimento de prazo longo pode ter um valor de manutenção ainda menor, já que os bancos se beneficiam quando alguém mantém seus recursos na instituição.

Investimentos com prazos longos, de 3 anos ou mais, vão progressivamente reduzindo seus custos de Imposto de Renda, assim como taxas de manutenção. E a rentabilidade também tende a se elevar, já que o valor coletado se acumula.

Considere a variação nos valores ao longo dos anos

Se você já fez qualquer investimento, sabe que uma mesma quantia de dinheiro pode não ser tão relevante daqui a alguns anos. A inflação e a flutuação da moeda, por exemplo, podem fazer com que R$ 1.000 hoje sejam R$ 100 amanhã. E é importante colocar isso na sua conta desde o começo.

Digamos que a inflação esperada seja de 5% ao ano. Esse número deve ser usado como base para calcular a diferença de valor daqui a 10 ou 15 anos e planejar suas economias e investimentos de acordo com essa projeção. Sem isso, é provável que você acabe com menos do que precisa para pagar a faculdade do seu filho.

Opte por investimentos seguros

Muitas pessoas fogem dos investimentos porque só conhecem o mito da bolsa de valores, em que se ganha e se perde dinheiro em um piscar de olhos. Porém, há várias opções seguras para pagar a faculdade dos filhos daqui a alguns anos, sendo muitas delas bem mais rentáveis do que a Poupança.

Um investimento arriscado e de maior rentabilidade pode ser tentador, mas lembre-se de que você deve pensar no longo prazo. Manter a disciplina e garantir uma renda mínima a cada mês é mais interessante do que assumir a possibilidade de perder tudo e ter que começar do zero, com menos tempo disponível. Ainda que seja necessário recorrer a um empréstimo, você deve utilizar uma opção segura, como o Empréstimo com Garantia de Imóvel.

Diversifique sua carteira

Apesar de priorizar investimentos seguros, isso não significa que você deve colocar todo o seu dinheiro no mesmo produto. Afinal, mesmo aplicações de risco mínimo têm flutuação de rentabilidade. Caso os números não acompanhem suas projeções até o fim, você vai acabar atrasado em suas metas e no pagamento da faculdade dos seus filhos.

Ao abrir a carteira de investimentos, inclua vários produtos de naturezas distintas, mas de modo que a rentabilidade total seja aquela que precisa atingir. Isso dará uma margem de segurança muito maior para economizar, que é exatamente o que você precisa a fim de garantir a educação dos seus filhos.

Quais produtos de investimento são recomendados?

1. CDB

O Certificado de Depósito Bancário, ou CDB, é um título que os bancos oferecem como forma de se capitalizarem. Já que as instituições financeiras não podem fechar o dia negativadas, elas vendem títulos para os investidores para conseguir encerrar o período com caixa positivo. Ou seja, você faz um empréstimo para o banco e recebe um valor com os juros adicionais.

A rentabilidade dos CDBs pode ser determinada de 3 maneiras:

  • rentabilidade do CDI (Certificado de Depósito Interbancário), que é basicamente a mesma coisa, mas entre bancos;

  • inflação;

  • pré-fixados, tendo um valor de rentabilidade constante do início ao fim.

2. LCA

Essa é a abreviação para Letras de Crédito do Agronegócio, que são títulos bancários usados no financiamento do agronegócio. De forma similar ao CDB, o investidor faz um empréstimo à instituição financeira, que aplica o dinheiro em atividades agropecuárias. Após receber sua própria rentabilidade, o banco transfere uma parte desse valor, como lucro do seu investimento.

Assim como o Certificado de Depósito Bancário, ela também é uma operação mais segura, com várias garantias de retorno. E, se o agronegócio vai bem, você terá mais facilidade para pagar a faculdade dos filhos por meio desse tipo de investimento.

3. LCI

Abreviação de Letras de Crédito Imobiliário, esse produto é essencialmente a mesma coisa que o LCA, mas usando o mercado imobiliário como sua garantia. Dessa forma, mesmo que o negócio não seja bem-sucedido, a execução da hipoteca ainda será recebida.

Agora que você tem essas dicas, é hora de elaborar um plano para pagar a faculdade dos seus filhos. Não sabe como fazer isso? Então veja nosso artigo sobre planos de investimento e entenda de que modo montar um.

COMENTÁRIOS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER