Atualmente, vemos cada vez mais pessoas que têm bons salários mas que, ainda assim, não alcançam tranquilidade financeira. São pessoas que costumam arcar com despesas altas e não conseguem bater suas metas de economia, apesar do bom salário.

Se você se encontra nessa situação, não desanime! Com um pouco de planejamento e organização, é possível reverter esse quadro, saldar dívidas e começar a investir. Quer saber como? Continue lendo e veja nossas dicas para estabelecer suas metas de economia e investimentos e, finalmente, alcançá-las!

Por que é importante ter metas para economizar?

Nós sabemos que manter um bom padrão de vida pode ser muito desafiador e muita gente acaba se enrolando com as contas e contraindo empréstimos e dívidas. Apesar de ser uma situação comum, a maioria das pessoas não se sente confortável quando passa por isso.

Todo mundo quer ter um futuro tranquilo e garantir o conforto da família e, para conseguir isso, é fundamental ter um planejamento financeiro. Com esse planejamento, será possível eliminar as dívidas e economizar uma parte do que ganha todos os meses.

Essas economias podem ser utilizadas em investimentos que vão garantir maior renda para a família e trazer mais tranquilidade a todos. Ou seja, se você almeja segurança financeira e um futuro sem preocupações, deve começar a poupar o quanto antes.

Como estabelecer metas de economia?

Mesmo sabendo que é importante economizar, começar essa caminhada pode ser difícil, mas não é impossível. Confira nossas dicas para estabelecer metas de economia e sair do sufoco!

Defina uma porcentagem do salário a ser poupada

O primeiro passo é decidir quanto você deseja ou pode guardar todo mês. Seria perfeito começar com 20%, mas na verdade essa porcentagem vai depender da sua situação financeira atual: quanto você ganha, número de dependentes e quais seus gastos fixos.

Os jovens em início de carreira costumam ter um salário baixo e muitas necessidades de consumo, como mobiliar a primeira casa ou adquirir produtos que sempre desejaram, mas nunca tiveram condições de comprar. Nesse caso, poupar cerca de 3% pode ser suficiente.

Conforme a carreira avança, é normal que o salário aumente e as necessidades de compra se estabilizem. Nesse momento, sozinho ou já em parceria com cônjuge, o jovem deve levar as metas de economia muito a sério. O melhor momento para guardar dinheiro é exatamente quando a carreira já está estabelecida e os filhos ainda não chegaram — nessa fase, entre 5% e 15% é o ideal.

Quando os filhos chegarem, o casal verá os gastos aumentarem consideravelmente. As despesas com saúde e educação costumam ser altas, mas isso não quer dizer que não devam poupar nada. Um valor entre 5% e 10% da renda do casal é aconselhável. Esse padrão pode ser mantido até a aposentadoria.

Analise qual é o objetivo a ser alcançado

Com o percentual a ser poupado em mente, analise quais são os seus objetivos para curto, médio e longo prazo e estabeleça uma data limite para cumprir todos eles. Se está endividado, em quanto tempo pretende quitar as dívidas? Se não está, qual investimento quer fazer e qual o retorno esperado?

É importante ter em mente que essas metas devem ser realistas. Se forem muito restritivas ou difíceis demais de alcançar, você acabará desistindo delas. Por isso, se desafie, mas nada de exagerar e propor algo fora da sua realidade. Tendo alguns objetivos plausíveis e com data para acabar, será muito mais fácil se motivar a seguir o planejamento.

Reveja algumas atitudes e hábitos

Por mais difícil que pareça, será necessário mudar alguns hábitos para promover melhorias na sua situação financeira. Avalie se não existem despesas que você pode cortar ou substituir por opções mais baratas, fazer você mesmo em vez de pagar alguém, controlar as saídas e passeios e assim por diante.

Não estamos falando que você deve cortar todas as suas opções de lazer ou diversão. O importante é que você pare de gastar de maneira inconsciente, faça uma reflexão e pense duas vezes antes de abrir a carteira. Todo gasto deve ser pensado e decidido, e não fruto de algum impulso.

Dê o primeiro passo

O primeiro passo é sempre difícil e requer mais força de vontade que os demais. Comece a economizar, mesmo que você ainda não tenha chegado ao cenário ideal. Comece o quanto antes e continue se esforçando para chegar ao valor desejado.

Com o tempo, você perceberá que fazer um orçamento doméstico, economizar e poupar dinheiro se tornarão hábitos e farão parte da sua rotina.

Encare o dinheiro a ser poupado como uma despesa

A economia mensal planejada deve ser encarada como qualquer outra despesa. Não caia na armadilha de fazer concessões, deixar de guardar em um mês ou usar o dinheiro para outra coisa.

Não conte com esse valor no seu orçamento e, se necessário, utilize outra conta para ele ou programe transferências automáticas. Conforme suas despesas se estabilizarem, crie um fundo de emergência para que você não tenha que mexer no dinheiro economizado em nenhuma hipótese.

Revise os números periodicamente

Com o passar do tempo, provavelmente acontecerão mudanças na sua situação financeira. Você pode ter quitado dívidas, terminado um financiamento, mudado de emprego ou de salário, alterado suas despesas etc. Para continuar economizando o máximo possível, revise seus números periodicamente.

Acompanhe as flutuações no seu orçamento e faça a gestão dos custos. Revise sua renda e seus gastos e reprograme as verbas sempre que necessário, mas sem abrir mão dos objetivos de economia.

Pense em alternativas que possibilitem começar com um investimento baixo

Uma parte importante do processo de estabelecer metas de economia é decidir onde o dinheiro economizado será aplicado. A Poupança é o investimento mais conhecido pela maioria dos brasileiros, mas não é nem de longe o mais vantajoso.

Existem outras formas de aplicação em que também é possível começar com valores modestos e ter rendimentos muito superiores aos da Poupança com a mesma segurança. Aplicando em CDB, por exemplo, você poderá iniciar os investimentos com um valor baixo e obter bons ganhos.

Para finalizar, ressaltamos que estar endividado não é motivo para entrar em desespero. Com um pouco de planejamento e disciplina, você conseguirá melhorar suas finanças e garantir mais estabilidade para sua família. Estabeleça metas de economia compatíveis com a sua realidade e mantenha o foco!

Quer continuar lendo dicas para melhorar sua situação financeira e auxiliar nos seus investimentos? Siga nossas páginas nas redes sociais — Facebook, Twitter e LinkedIn — e veja mais conteúdos como este!

Comentários

Assine nossa newsletter