Para quem vive com dívidas e precisa dar um jeito na sua vida financeira, o maior obstáculo pode ser a própria casa onde mora. Atualmente, mais de 3 milhões de famílias gastam mais do que o recomendado com moradia, o que gera sérios problemas de endividamento. Daí surge a necessidade de economizar com aluguel.

Contudo, isso não é uma tarefa fácil. Só em 2018, o preço dos aluguéis subiu 1,77% segundo o Índice FipeZap. Com tantos aumentos (e com um salário que não acompanha o ritmo), é sequer possível conseguir economizar em moradia?

Pode não ser fácil, mas dá para fazer sim. Nós listamos abaixo 6 excelentes dicas que ajudarão a diminuir o peso do aluguel nas suas contas mensais. Portanto, continue lendo para saber mais sobre o assunto!

1. Acerte na localização da casa que alugará

Um dos principais fatores que compõem o valor da locação de um imóvel é a sua localização. Em São Paulo, por exemplo, o metro quadrado de um aluguel sai em média por R$36,59, enquanto em Goiânia, o valor cai para menos da metade: apenas R$16,07 por m².

E essa variação não acontece apenas entre cidades. Dentro de um mesmo município, o valor da locação pode flutuar muito.

Portanto, se você quer economizar com aluguel, precisa acertar a mão na hora de escolher onde vai morar.

Não existe fórmula mágica para encontrar um bom lugar para alugar. A localização ideal dependerá de certas condições na sua vida. Por exemplo:

O aluguel de um imóvel de 65 m² no bairro da Liberdade, em São Paulo, custa em média R$2.135,00. Para quem trabalha por lá, pode ser uma boa ideia procurar um apartamento na região. Ou, talvez, seja melhor optar por um imóvel igual em Itaquera, cujo preço médio é de R$1.349,00.

Considerando o gasto com metrô para se locomover para o trabalho na Liberdade (R$240,00 por mês), a opção mais econômica é morar em Itaquera (economia de R$546,00).

Portanto, leve em consideração a proximidade da casa ao seu trabalho, opções de lazer, escolas, hospitais e supermercados, além da disponibilidade de meios de transporte público (e o gasto com eles) ao escolher o imóvel que alugará.

2. Alugue a sua garagem para outros moradores

Se você escolheu bem o imóvel, é possível que tenha um plano de locomoção pela cidade, via transporte público ou, até mesmo, táxis ou aplicativos de caronas/motoristas.

Por isso, existe a possibilidade de não precisar de um carro e, consequentemente, de uma garagem. E essa é uma boa chance de economizar com o seu aluguel, sabia?

É prática comum em condomínios pelo Brasil a locação de vagas das garagens para outros moradores e, em alguns casos específicos, para pessoas estranhas ao prédio (com autorização expressa da gerência local).

Dessa forma, você ganha um valor considerável para “abater” do seu aluguel e pagar menos com isso.

3. Considere o valor do condomínio no orçamento

Quem mora em apartamento sabe que existem dois gastos mensais com a sua moradia: o aluguel do imóvel e o valor do condomínio.

Se você está em dúvidas se é melhor morar em uma casa ou um apartamento, terá de considerar o peso do condomínio nas suas contas financeiras.

O segredo para fazer uma boa decisão é considerar tudo que vem incluso nesse pagamento. Por exemplo, imagine que você tem duas opções para alugar: uma casa e um apartamento em um prédio fechado.

O aluguel da casa é R$1.200,00, enquanto o do apartamento é R$950,00 com condomínio de R$500,00 (totalizando R$1.450,00). Parece mais vantajoso escolher a casa, certo?

Entretanto, considere que o condomínio em questão tem equipamentos de ginástica, piscina e uma vaga de garagem que você pode alugar. Assim, você não pagará a mensalidade da academia (R$100,00) ou do clube (R$75,00) e ainda loca a garagem para o vizinho (R$100,00).

Fazendo todas as contas, é mais vantajoso ficar no apartamento se você fizer academia e frequentar algum clube. Se não for o seu caso, o ideal é optar pela casa. Por isso, você deve calcular na ponta do lápis o impacto do condomínio no seu orçamento antes de escolher onde morar.

4. Negocie diretamente com o proprietário da casa

Muitos locadores contratam o serviço de corretores ou imobiliárias para encontrar inquilinos para os seus imóveis.

Esse modelo de negócios acarreta certos custos para os proprietários. O primeiro aluguel do contrato, por exemplo, vai para a imobiliária, além de 10% do valor todos os meses.

Isso significa uma boa oportunidade de economia para quem quer diminuir os custos com o aluguel.

Se você negociar diretamente com o proprietário e contratar um advogado para redigir um contrato de locação, pode diminuir o valor final do aluguel que terá de pagar, já que não existirão taxas administrativas no negócio.

Nesse caso, um aluguel de R$1.500,00, por exemplo, pode cair para até R$1.350,00. Uma economia sensível para o seu bolso.

5. Faça contratos maiores para economizar com aluguel

Cada mês em que um imóvel está desocupado é um mês com gastos para o seu proprietário, desde impostos até condomínios e outros compromissos.

Por isso, para um proprietário, é interessante ter um inquilino em seu imóvel pelo maior tempo possível, nem que, para isso, tenha de baixar um pouco o valor do aluguel pedido.

Você pode usar essa informação quando for negociar o contrato de locação com o proprietário do imóvel que for alugar. Proponha-se a assinar um contrato maior, em troca de um aluguel menor.

Essa dica vale, inclusive, se você já mora em alguma casa alugada. Se for um bom inquilino, pode ter certeza que o locador gostará de mantê-lo em seu imóvel e estará disposto a ceder um pouco na negociação em troca de uma estabilidade maior no vínculo de vocês.

6. Divida o apartamento com um amigo ou familiar

Para quem é solteiro e está começando a vida agora, uma excelente maneira de economizar com aluguel é dividindo o imóvel com um amigo ou alguém da família.

Isso é vantajoso porque o aumento de preço em uma casa maior não acompanha a quantidade de pessoas que vive nela. Ou seja: um apartamento para dois não custa o dobro de um para uma pessoa só.

Dessa forma, o aluguel de uma casa para uma pessoa pode ser, digamos, R$950,00 e o de uma para dois pode ficar em R$1.400,00. Dividindo esse aluguel entre ambos, seria R$700,00 para cada um, uma opção mais vantajosa.

Se você conhecer amigos na mesma situação, pode propor um negócio desse tipo para economizar mais.

Considerando que o gasto com moradia é uma das maiores partes do nosso orçamento mensal, saber como economizar com aluguel é imprescindível para conseguir poupar dinheiro e quitar as suas dívidas.

Se você gostou deste artigo e procura por mais dicas para melhorar o seu planejamento financeiro, assine a nossa newsletter e receba os melhores conteúdos do tipo na sua Caixa de Entrada!

Assine nossa newsletter

Você pode cancelar o recebimento a qualquer momento, clicando apenas no link "cancelar inscrição" nesses e-mails ou entrando em contato conosco. Clique aqui para acessar nossa política de privacidade.