É comum ver muitos investidores dizendo que trocariam parte do seu patrimônio pelo conhecimento, no início da carreira, das lições sobre investimento que viriam a aprender com os anos. Afinal, no universo das aplicações, conhecimento é dinheiro.

Você, investidor iniciante, também aprenderá muito com as suas aplicações, especialmente no seu primeiro ano de investimento.

Entretanto, como você não precisa repetir os erros dos outros para aprender as mesmas lições, listamos aqui alguns dos principais ensinamentos que permitirão um começo tranquilo na sua carreira de investidor. Vamos ver quais são?

1. Entenda e respeite o seu perfil de investidor

Assim como nem todo mundo torce para o mesmo time de futebol, gosta dos mesmos filmes ou curte ir para os mesmos lugares nas férias, nem todo investidor trabalha da mesma forma.

Alguns preferem aplicações com risco maior, mas com a chance de ganhar um retorno proporcional. Outros gostam de jogar seguro, abrindo mão de um lucro mais possante em troca de estabilidade e proteção.

Você também tem um perfil de investidor, mesmo que não saiba ainda. Saberá qual quando tiver de tomar algumas decisões com os seus investimentos.

O mais importante é que, seja qual for o seu perfil, você precisa respeitá-lo e não forçar algumas decisões só porque “sugeriram isso”. A tendência de sucesso é maior quando você conhece a si mesmo.

2. Estude muito para investir conscientemente

Você sabe o que é um CDB? E um LCI? Entende a diferença entre Renda Fixa ou Variável? Sabe dizer como a inflação afeta os seus investimentos?

Aplicar o seu dinheiro e criar um patrimônio não é tão simples como muitas pessoas pensam. Você vai precisar de muito estudo para entender o funcionamento do mercado e poder navegar confortavelmente com os seus investimentos.

Mas não fique preocupado, pois o assunto é interessante e nada difícil de aprender. Por exemplo, as respostas para as perguntas acima estão nos respectivos links — você pode começar a estudar por ali mesmo!

3. Tenha disciplina e paciência com o seu plano

O inimigo número 1 do investidor iniciante é a falta de paciência. O cidadão elabora um plano de investimento e, na hora de segui-lo, fica impaciente e coloca tudo a perder.

No universo das aplicações, o tempo é o seu aliado: R$ 1.000 hoje podem se transformar em R$ 10 mil ou até R$ 100 mil, mas, assim como uma árvore, esse patrimônio precisará de tempo para crescer e prosperar.

Por isso, mantenha a disciplina e tenha paciência com os seus investimentos. Quanto mais tempo passar, maior o seu retorno!

4. Deixe as emoções fora da sua tomada de decisão

Você é uma pessoa passional, do tipo que age por impulso e toma decisões com base nos sentimentos? Em caso afirmativo, poderá ter alguns problemas com os seus investimentos.

Benjamin Graham, um dos mais famosos economistas americanos e guru do investidor Warren Buffet, é autor de uma frase cheia de sabedoria: “O mercado está lá para servi-lo, não para guiá-lo.” Ou seja: você deve usá-lo, e não o contrário.

Isso significa que você não pode deixar que a sua tomada de decisões seja influenciada pelas flutuações do mercado. Se você ficou com medo, eufórico ou assustado com as coisas e deixa isso influenciar a sua tomada de decisão, inevitavelmente cometerá erros.

O ideal é sempre se acalmar antes de decidir alguma coisa e fazer a sua escolha da forma mais racional possível.

Nova call to action

5. Analise bem com quem você deixará o seu dinheiro

Imagine que um familiar que você não vê há muito tempo aparece na sua casa com uma oportunidade de investimento “imperdível”. Você confiaria todas as suas finanças a ele? Difícil, né?

A mesma coisa acontece quando vai ao mercado para investir. Você precisa de um parceiro em quem possa confiar o seu dinheiro, para dormir tranquilamente sem medo de perder tudo do dia para a noite.

Portanto, procure uma instituição financeira que seja confiável, conhecida no mercado e que abra com você um canal de comunicação simples, rápido e fácil, para tirar todas as suas dúvidas sempre que precisar. Que seja um banco que não cobra taxas, não é mesmo?

6. Crie uma carteira de investimentos diversificada

Uma das mais importantes lições sobre investimentos surge diretamente do seu prato de comida. Você já reparou nele? É possível que, na sua última refeição, você tenha comido algo como arroz, feijão, uma carne e uma salada, não é mesmo?

Quando comemos, precisamos balancear o nosso prato para obter carboidratos, vitaminas e proteínas. Se você passar a vida comendo só lanche ou nunca comer verduras, eventualmente ficará doente.

Com o investimento é a mesma coisa: você pode até tentar passar a vida toda com um alimento só no seu prato, mas corre o risco de ter algum problema no futuro.

Por isso, crie uma carteira de investimentos bem diversificada e saudável. Escolha opções de Renda Fixa, como CDB, LCI e LCA, invista em aplicações indexadas à inflação e à taxa de juros CDI, e explore outras opções do mercado.

Assim, se der problema com um investimento, você estará protegido pelos outros e não sofrerá danos.

7. Comece a investir em qualquer época

Mencionamos anteriormente que o tempo é um grande aliado para os seus investimentos. Afinal, os juros compostos ajudam a aumentar exponencialmente o seu retorno.

Muita gente costuma interpretar isso como se os investimentos fossem algo para jovens. Afinal, “não tenho mais tempo para deixar o dinheiro rendendo”. Isso, porém, não é verdade.

Nunca é tarde para começar a investir e colocar o seu dinheiro para trabalhar por você. Inclusive, recomenda-se que os aposentados reinvistam parte da sua aposentadoria (pública ou privada) para aumentar os seus ganhos e viver mais confortavelmente.

8. Tenha um plano de contingência para o pior

Talvez você já saiba disso, mas não existe um investimento 100% seguro. Sempre há algum risco: a inflação pode subir e o seu retorno ser corroído, a sua aplicação não tem liquidez diária e você pode precisar do dinheiro ou qualquer outro cenário apocalíptico.

Mesmo que as chances de uma situação dessas acontecer não sejam grandes, você não perderá nada se tiver um plano de contingência em mãos.

O ideal é que esse recurso nunca precise ser utilizado, mas em caso de necessidade é melhor tê-lo disponível do que ficar sem ele. Por isso, guarde uma porcentagem dos seus ganhos para essa reserva de contingência. O recomendado é que ela seja grande o suficiente para cobrir cerca de três meses de despesas da sua família.

Se você conseguir assimilar essas lições sobre investimento, provavelmente terá um primeiro ano como investidor muito tranquilo, preparando-se para novos ensinamentos no futuro.

Gostou do que viu por aqui? Então, curta a nossa página no Facebook, siga o nosso Twitter e LinkedIn ou assine o nosso canal no Youtube para acompanhar todas as postagens que fazemos e participar da discussão!

Nova call to action

 

Comentários

Assine nossa newsletter