Pagar a faculdade dos filhos é um dos maiores objetivos dos pais. Afinal, um bom curso no Ensino Superior pode facilitar a vida profissional das crianças e ajudar a garantir um futuro confortável para elas.

Mas quitar esse custo também pode ser um grande desafio. O Ensino Superior não é barato, e mesmo uma faculdade pública ainda pode demandar muitos gastos com livros, materiais e outras necessidades.

Cumprir com esse objetivo exige muito planejamento e dedicação. Para ajudá-lo, resolvemos listar as 6 principais dicas para conseguir pagar a faculdade dos filhos sem dificuldades. Confira abaixo!

1. Estabeleça metas de economia desde cedo

Faculdade é um investimento em longo prazo, essencial para o sucesso financeiro e profissional dos filhos. Por isso mesmo, você deve começar a pensar nisso assim que possível.

Quanto mais cedo planejamos a faculdade das crianças, maior é o prazo para juntar o dinheiro necessário e menor o esforço.

Comece estabelecendo metas de economia. Se seu filho tem 10 anos, por exemplo, é provável que você só comece a pagar pelo Ensino Superior daqui a 8 anos. Isso permite que você economize aos poucos, pensando no longo prazo.

Digamos que o curso escolhido por ele custe R$ 20 mil por ano, e são 4 anos de formação. Serão R$ 80 mil necessários para concluir a faculdade. Em 8 anos, são 10 mil guardados por ano.

Se você começar antes, quando ele tiver 8 anos apenas, serão 10 anos para juntar todo o dinheiro — R$ 8 mil por ano, no nosso exemplo. Se começar quando ele tiver 5, vai poder economizar por 13 anos (pouco mais de R$ 6 mil/ano).

2. Estude opções de investimentos rentáveis

Economizar em longo prazo é muito importante para conseguir pagar a faculdade dos filhos. Porém, a longa duração traz um problema: a desvalorização do dinheiro.

Se você não tiver cuidado, a inflação vai corroer anualmente o montante guardado para a educação dos filhos e, quando você for ver, não terá o suficiente.

A melhor maneira de evitar que isso aconteça é investindo o seu dinheiro. Assim, além de se proteger da inflação, você ainda faz esse valor crescer ao longo do tempo. E detalhe: assim como na hora de economizar, quanto maior o tempo do seu investimento, maior será o rendimento dele.

Existem três opções ótimas para quem quer juntar dinheiro para pagar a faculdade dos filhos: o CDB, a LCI e a LCA.

Os links acima explicam com mais detalhes, mas veja um pequeno exemplo para mostrar como eles são uma ótima opção: Imagine que você junte R$ 20 mil. Segundo nossa calculadora de rendimento, se você investir esse valor no CDB pós-fixado por 5 anos (com rendimento de 110% do CDI), você receberá R$ 33.291 no final desse prazo, por exemplo. E tudo isso protegido pelo Fundo Garantidor de Créditos!

É claro que estamos falando de estimativas. Como o CDI pode variar durante o ano, o rendimento também pode mudar. Por isso é importante acompanhar regularmente o desempenho do seu investimento.

3. Conte com apoio profissional na hora de investir

Como vimos, investir é essencial para conseguir levantar o dinheiro necessário para pagar a faculdade dos filhos. Como o Ensino Superior é um requisito importantíssimo para a vida profissional, esse investimento deve ser muito protegido para não colocar em risco o futuro das crianças.

Por isso, você deve se cercar do melhor apoio profissional possível na hora de gerenciar seus investimentos. Pesquise sobre a reputação da instituição financeira que receberá seu dinheiro, veja que tipo de apoio eles oferecem e quais são as condições de investir ali.

Só invista quando tiver certeza de que encontrou a equipe de profissionais ideal para fazer seu patrimônio crescer e garantir que seus filhos receberão a melhor educação possível no futuro.

4. Incentive seus filhos a trabalhar desde cedo

O Ensino Superior é um dos momentos mais importantes da vida profissional de uma pessoa e é quando ela vai aprender a profissão que executará no futuro. Mas isso não significa que ela não deva começar a trabalhar antes.

Uma boa maneira de ajudar a pagar a faculdade dos seus filhos é incentivando-os a conseguir um trabalho ainda durante o Ensino Superior Com o salário de um emprego ou estágio, seu filho ou filha poderá contribuir com o pagamento do próprio estudo.

Além de aliviar a carga dos pais, essa contribuição ainda ensina ao jovem universitário o valor do esforço e do dinheiro.

Uma boa maneira de conseguir isso é incentivando que ele arranje empregos temporários durante as férias, por exemplo, mesmo durante o Ensino Médio. Mas vale lembrar que o estudo é prioridade, não devendo ser prejudicado por causa do trabalho adquirido pelo jovem.

5. Realize um planejamento financeiro familiar

Pagar a faculdade dos filhos é uma tarefa relativamente pesada, mas que pode ficar mais leve se gerenciada com cuidado.

Uma das melhores maneiras de fazer isso é por meio de um planejamento financeiro familiar bem estruturado. Quer um exemplo?

Imagine uma família de quatro pessoas que sai para jantar todo sábado. Comendo numa lanchonete de qualidade, é possível que esse jantar custe por volta de R$ 150.

Por mês, essa atividade familiar custaria R$ 600. No final de um ano, seriam R$ 7.200. Em 5 anos, R$ 36.000. Em 10, R$ 72.000.

Porém, se essa atividade de fim de semana fosse substituída por uma noite de lanches caseiros em família, o custo do jantar dificilmente ultrapassaria os R$ 50. Em 5 anos, seria uma economia de R$ 24.000. Em 10, essa família acumularia R$ 48 mil.

Fazendo um bom planejamento familiar (e estabelecendo metas de longo prazo), é possível guardar uma boa quantia que ajudará a bancar o Ensino Superior dos filhos.

6. Tenha cuidado com os “roedores de valor”

Um dos grandes problemas com metas de economia de longo prazo são os “roedores de valor”. Um exemplo famoso já foi mencionado nesse artigo: a inflação.

Mas ela não é a única. Existem outros elementos que também diminuem o valor do seu dinheiro, como a Taxa de Administração de um investimento, por exemplo. Alguns bancos cobram taxas que podem ser de 0,5%, 1% ou até mesmo 2% do seu rendimento. Para evitar isso, busque um banco sem taxas ou tarifas para maximizar o seu investimento.

Outro roedor de valor pode ser o supermercado. Ou melhor: a frequência com que você vai ao mercado, que impede que você economize. Ir todos os dias comprar uma coisinha aqui e outra ali pode parecer prático, mas na verdade costuma sair bem mais caro. Fazer uma compra única por mês (ou pelo menos uma compra semanal) pode ajudar a gastar menos e a economizar seu dinheiro.

Agora que você já sabe o caminho para conseguir pagar a faculdade dos filhos, que tal seguir com a gente? Curta nossa página no Facebook e siga nosso perfil no Twitter para acompanhar nosso conteúdo e receber todas as dicas sobre educação financeira!

Comentários

Assine nossa newsletter