Você já parou para pensar em quanto gasta com a alimentação da sua família? Tem a impressão de que paga caro para sair com poucos produtos? Se as suas respostas são positivas, o que provavelmente está faltando é saber economizar no supermercado.

Pode ser que você nunca tenha analisado, mas o modo como faz as compras impacta diretamente seus gastos e sua estabilidade. Assim, por mais que esse pareça um detalhe pequeno, essa questão pode gerar consequências positivas ou negativas para suas finanças.

Por isso, neste post, vamos listar 7 passos para economizar nas compras do supermercado. Quer conferir o que fazer? Veja as dicas a partir de agora:

1. Faça uma lista antes de sair de casa

Muita gente ignora esse hábito e acredita que ele faz pouca diferença, mas acredite: uma lista de compras é o que você precisa para se manter na linha e evitar gastos inesperados no supermercado. A ideia é adquirir somente o que precisa para o seu cardápio semanal.

A lista de compras ainda evita o desperdício e a compra de supérfluos — caso de doces, salgadinhos, refrigerantes e bolachas. Em boa parte das vezes, você nem tem a intenção de levar esses produtos, mas por faltar planejamento e controle nas compras, coloca esses alimentos no carrinho.

Outra situação evitada pela lista é a compra de itens repetidos, que você acha que faltam, mas, na verdade, estão guardados no armário da cozinha. Portanto, essa sugestão é recomendada mesmo que você vá várias vezes por semana ao supermercado.

Dica: aproveite para organizar a lista de acordo com as seções do supermercado. Ao colocar os itens próximos — por exemplo: higiene pessoal, produtos de limpeza, enlatados etc. —, consegue fazer as compras mais rapidamente e tem um incentivo maior para evitar fazer as compras por impulso.

2. Escolha marcas com bom custo-benefício

Se você tem o costume de adquirir produtos sempre das mesmas marcas, considere mudar de postura. As marcas mais populares nem sempre oferecem itens de mais qualidade e o preço também pode ser pouco atrativo.

O ideal é analisar sempre o custo-benefício. Nesse caso, você precisa deixar o preço absoluto de lado e considerar o volume/a quantidade e o preço por unidade ou metro, por exemplo. Pense também na qualidade e na composição do produto.

É o caso, por exemplo, de um pacote de papel higiênico. O que tem 4 rolos costuma ser proporcionalmente mais caro que aqueles que contêm 16 ou 24 rolos. Porém, um com folha simples é menos interessante que aquele que contém dupla — e você ainda pode encontrar esses modelos a preço similar ou com pouca diferença.

Essa relação também é válida para várias outras mercadorias. Por isso, sempre pense no valor proporcional, nunca no absoluto. Também pense na composição e qualidade dos itens, porque, assim, gastará seu dinheiro com o que realmente vale a pena.

3. Tenha um limite de gastos bem estabelecido

É fundamental ter um valor máximo para seus gastos no supermercado. Analise as promoções, mas só adquira os itens que já estiverem previstos na sua lista de compras. Assim, é mais fácil se manter no orçamento e ainda comprar tudo o que precisar.

Mesmo que consiga economizar, evite colocar no carrinho qualquer item que esteja fora da sua lista de compras. Por mais que uma novidade chame sua atenção, prefira colocar na lista da próxima aquisição, caso queira muito. No entanto, mantenha o foco nas necessidades.

Nova call to action

4. Elabore um cardápio semanal

Fazer um menu semanal é uma dica bastante interessante para facilitar a sua vida e ainda garante uma significativa economia no supermercado. O objetivo é definir quais serão as refeições da semana para comprar antecipadamente os alimentos necessários.

Essa é uma maneira de reduzir o desperdício e melhorar a alimentação de toda a sua família. Você também reduz o tempo gasto para cozinhar, já que pode deixar os pratos prontos no fim de semana e congelá-los para durar os 7 dias seguintes.

Lembre-se de ver quais são as frutas, as verduras e os legumes da estação para adquiri-los mais fresquinhos e por um valor mais baixo.

5. Evite fazer compras com fome

Esse é um erro clássico. Você aproveita a saída do trabalho e passa no supermercado fazer as compras. O problema é que está com fome e, assim, pega uma bolacha, um salgadinho ou qualquer outro item fora da previsão e rápido de comer. O resultado? Gasto em supérfluos.

Se não acredita nessa relação, perceba como é mais difícil se ater à lista de compras quando está com fome. Esse processo é normal, mas interfere na economia do supermercado. Por isso, evite.

Isso também é válido quando está com pressa. Nesse caso, ignora os preços e apenas pega os itens rapidamente para cumprir o compromisso. No entanto, isso acaba com a economia, porque a tendência é colocar no carrinho o primeiro produto que aparecer, não aquele com o melhor custo-benefício.

6. Pesquise os preços e pechinche

Se possível, sempre confira o preço dos itens em mais de um supermercado para ter certeza de que fará a melhor compra. Você pode fazer essa conferência pelo folheto, pela propaganda da televisão e, de preferência, pela visita às unidades, bem como os chamados atacarejos e atacadões.

Com essa pesquisa, conseguirá perceber, por exemplo, que o litro de leite é mais barato no supermercado X, mas que o amaciante tem um valor mais baixo no Y. Desse modo, será possível realmente economizar no mercado.

7. Deixe as crianças em casa ou crie um orçamento para elas

Levar os filhos para fazer as compras no supermercado pode ser uma péssima ideia. A tendência é que eles peçam para você comprar vários itens desnecessários, como sorvetes, doces, bolachas etc. — e isso pode acabar com o seu orçamento.

Se não tiver jeito e for preciso levá-los, ensine que é impossível comprar tudo que se quer. Repasse o conhecimento de que o ideal é fazer um consumo consciente. Uma boa dica para fazer isso é oferecer determinado valor como um orçamento para a criança escolher o que deseja comprar. Assim, começará a fazer escolhas mais acertadas.

Como você pôde perceber, economizar no supermercado é simples, mas exige alguns cuidados, além de força de vontade e determinação. Muitas vezes, você terá vontade de sair da linha, mas acredite: vale a pena se manter no orçamento para garantir finanças saudáveis.

Gostou dessas dicas? Aproveite e compartilhe esse conhecimento nas suas redes sociais!

Nova call to action

Comentários

Assine nossa newsletter