Você tem uma boa renda e já começou a formar seu patrimônio. No entanto, passou alguns problemas e entrou na estatística dos endividados. Agora, a solução é buscar conhecimento sobre a taxa de juros de empréstimo para sair dessa situação.

Reconheceu o cenário? Essa é a realidade de muitos brasileiros. Segundo dados da Serasa Experian, o total de inadimplentes no país chega a 60,6 milhões, mas está caindo. 

Isso porque muitas pessoas já encontraram alternativas. Para ajudá-lo nessa empreitada, neste artigo vamos apresentar as médias das taxas de juros cobradas em diferentes tipos de empréstimo e fazer uma comparação entre elas. Assim, sua decisão será embasada e você vai seguir o melhor caminho.

Então, que tal melhorar suas finanças agora? Continue lendo!

As taxas de juros de empréstimos

Na hora de contratar uma linha de crédito, um dos principais fatores a analisar é o valor extra que será pago. Em alguns casos, as condições podem inviabilizar a negociação, porque sua dívida é capaz de aumentar significativamente e fazer tudo virar uma "bola de neve". 

Comparar as diferentes alternativas disponíveis no mercado é uma maneira adequada de sair do vermelho sem correr o risco de se afundar ainda mais. Veja a seguir as principais opções de empréstimo com suas respectivas taxas de juros.

Cartão de crédito

Essa modalidade tem um dos percentuais mais elevados. Por isso, deve ser a última opção considerada. Os juros do rotativo — que incidem quando o usuário paga apenas o valor parcial da fatura — chegaram a 363,3% ao ano em maio de 2017, de acordo com dados do Banco Central divulgados pela Agência Brasil.

Na prática, uma dívida de R$ 1.000 chega a R$ 4.633 depois de 12 meses se você não pagar. Ou seja, só de juros o montante atinge R$ 3.633.

Crédito consignado

Essa é reconhecida como uma das linhas mais baratas que existem no mercado. A dúvida é: realmente vale a pena? A média do mercado varia de 1,4% a 2,14% ao mês, dependendo da instituição financeira, de acordo com o jornal O Dia.

A ideia do consignado é que o valor seja descontado diretamente da folha de pagamento. Devido a essa garantia, o banco cobra uma taxa mais baixa do que outras opções.

Fazendo uma comparação, o mesmo empréstimo de R$ 1.000, depois de um ano, transforma-se em uma dívida de R$ 1.181,56 com uma taxa de 1,4% ou de R$ 1.289,29 se o percentual for de 2,14%. É melhor que o cartão de crédito, mas ainda há opções mais válidas.

Cheque especial

Essa é uma linha de crédito cara e que não vale a pena para quem está endividado. De acordo com um levantamento do Procon de São Paulo, divulgado pela Agência Brasil, a taxa média em maio de 2017 ficou em 13,48% ao mês.

Voltando a fazer a comparação, aquele empréstimo de R$ 1.000 vai para R$ 4.560,70 depois de 12 meses. Como você pode perceber, é bem próximo à quantia cobrada no cartão de crédito.

Veja também:

Melhores séries e filmes sobre o mercado financeiro;

Empréstimo pessoal

Nessa modalidade, a taxa de juros é menor que o cartão de crédito e o cheque especial, mas mais elevada do que a do consignado. O levantamento do Procon de São Paulo, publicado na Agência Brasil, indicou uma porcentagem média de 6,37% ao mês.

Na comparação, o crédito de R$ 1.000 resulta em R$ 2.098,12 depois de 1 ano. Ou seja, você já paga mais que o dobro do que solicitou.

Empréstimo com Garantia de Imóvel

Essa é a opção mais econômica do mercado e, por isso, a indicada para quem quer sair do vermelho. A taxa é de apenas 1,39% ao mês, porque a garantia é o imóvel que possui.

No exemplo que estamos utilizando, a dívida de um crédito de R$ 1.000 ficaria R$ 1.180,16, o menor valor que vimos até aqui. É ou não a melhor alternativa?

Nova call to action

O funcionamento do Empréstimo com Garantia de Imóvel

Nessa linha de crédito, você solicita o valor desejado e fornece como garantia um imóvel que esteja em seu nome ou seja propriedade de outra pessoa que autorize a operação. A quantia emprestada pode ser utilizada para qualquer finalidade, inclusive pagamento de dívidas.

Para que a transação se concretize, a instituição financeira faz uma análise do bem e verifica seu valor de mercado. Em cima desse total, é possível financiar até 60% do imóvel. Assim, se a propriedade valer R$ 250 mil, você pode contratar R$ 150 mil.

Os benefícios do Empréstimo com Garantia de Imóvel

As principais vantagens dessa linha de crédito são:

Taxa de juros reduzida

O índice de 1,39% ao mês é mais baixo do mercado, como já apresentamos anteriormente. Contra esse fato, não há argumentos.

Prazo de pagamento longo

A quitação da dívida pode ser feita em até 15 anos. Assim, o valor das parcelas é mais baixo e costuma caber no seu orçamento.

Volume de crédito amplo

O limite de contratação é mais elevado que em outras modalidades. É de, no mínimo, R$ 60 mil e de, no máximo, 60% do valor do imóvel (com o teto de R$ 2 milhões). Com o dinheiro recebido, é possível pagar as contas, investir em um negócio, aplicar em um investimento, fazer uma viagem etc.

Liberação rápida do dinheiro

O dinheiro costuma ser liberado em até 30 dias. É ainda mais rápido quando a instituição trabalha online.

Todas essas características são garantidas pelo Banco Sofisa Direto. O Empréstimo com Garantia de Imóvel é fácil e rápido, e você pode enviar toda a documentação diretamente pela internet, sem complicações. Outra vantagem especial é que não há tarifas adicionais. Então, não precisa ter receio de ser pego desprevenido.

Agora que você conhece a taxa de juros de empréstimo, que tal contratar o seu? Acesse a nossa página e veja como podemos ajudar com a nossa solução!

Nova call to action

COMENTÁRIOS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER