As contas chegam todo mês e parece que seu salário não dá para tudo. Por mais que você tenha uma boa renda, a realidade é que as suas finanças pessoais estão no vermelho. Como sair disso? Uma boa maneira é o empréstimo com garantia de imóvel.

Essa é uma alternativa interessante para que você consiga se estabilizar financeiramente. Por outro lado, é preciso ter cautela para não acabar se complicando ainda mais.

No post de hoje, vamos indicar quando pode ser utilizado o empréstimo oferecendo um imóvel como garantia. Nosso objetivo é que você entenda como usar esse recurso de forma consciente, a fim de equilibrar as finanças. Então, vamos lá?

O que é o empréstimo com garantia de imóvel?

Essa é uma solução financeira na qual você utiliza seu bem imobiliário como garantia para levantar um empréstimo pessoal. Também chamada de hipoteca ou refinanciamento de imóvel, possui taxas de juros mais baixas em comparação com outras modalidades de crédito oferecidas no mercado e permite organizar sua vida financeira.

Geralmente, as instituições financeiras aceitam casas, imóveis comerciais, apartamentos e terrenos como garantia. Até 50% do valor do bem pode ser emprestado e você pode fazer o que quiser com o dinheiro, desde o pagamento de contas até a abertura do seu próprio negócio.

Mesmo assim, você deve ter consciência de que seu imóvel está como garantia do empréstimo recebido. É importante se programar e pagar as parcelas em dia. Lembre que todo crédito deve ser usado com cuidado. Assista o vídeo abaixo para entender o crédito com imóvel de garantia.

Os bancos têm liberdade para determinar o percentual de taxa de juros que vão cobrar. Cabe a você pesquisar pela melhor opção para gerar economia. As taxas de juros partem de 1,39% ao mês. São menores do que as praticadas no crédito consignado, que fica entre 2,08% para funcionários públicos e 2,29% para aposentados.

Mas não é só isso. É preciso que a instituição também tenha credibilidade. Procure por um banco. É mais seguro. Essa é a melhor forma de garantir que não haverá "pegadinhas". 

Seja realista ao se comprometer com as parcelas

O empréstimo prevê o pagamento de uma quantia todos os meses, e é essencial que ela caiba no seu orçamento. Se você não chegar a um valor bom, tente negociar ainda mais. Só depois disso é que você deve assinar o contrato.

Antes mesmo da pesquisa, é preciso verificar como a dívida vai impactar o seu orçamento familiar. Avalie a possibilidade de cortar despesas supérfluas, como TV a cabo, telefone fixo, compras de roupas, entre outras.

Lembre-se sempre de que a contratação do empréstimo com boa taxa de juros é somente o começo. Você deve apertar os cintos para evitar a inadimplência.

 

Considere o Custo Efetivo Total (CET) do empréstimo

O CET é o índice responsável pela consolidação dos custos relativos aos empréstimos. Ele deve ser analisado porque inclui taxas de juros, tarifas de contratação e tributos (impostos). Ou seja, é um indicador mais completo e que deve servir como base de comparação.

No caso do empréstimo que possui a garantia de um imóvel, já se sabe que as taxas são mais baixas do que as de uma linha de crédito convencional. Mesmo assim, pode haver diferenças entre as instituições financeiras — e a análise do CET é o que vai determinar a melhor opção.

Por exemplo: uma instituição financeira pode ter uma taxa de juros mais alta, mas os outros encargos são reduzidos. O CET é de, por exemplo, 3%. Já um segundo banco pode ter juros levemente menores, com encargos bem maiores, o que totaliza um Custo Efetivo Total de 5%. Nesse caso, vale mais a pena selecionar a primeira opção.

É importante atentar-se ao fato de que há instituições financeiras que oferecem taxas de juros baixas, mas cobram diversas tarifas separadas. Isso faz com que o CET da operação fique elevado.

Escolha a modalidade que traga mais segurança

A contratação de um empréstimo requer que você tenha bastante segurança do que está fazendo. Existem diferentes modalidades e instituições financeiras e você precisa ter certeza da sua decisão.

Para isso, uma boa dica é usar um simulador de empréstimos. Essa ferramenta apresenta um cenário de quais serão os impactos e as condições do empréstimo. Você pode ter acesso a esse recurso em qualquer instituição financeira, basta solicitar.

Depois de simular, solicite a evolução das parcelas (todas as parcelas) por email. 

Desconfie de condições muito boas

As instituições financeiras têm interesse de emprestar dinheiro a você se for um bom pagador. Mas condições muito boas são um alerta de que algo está errado.

Mesmo na solicitação do crédito com garantia de imóvel, você precisa comprovar renda. Se isso não é pedido, pode ser que a taxa de juros aplicada seja mais alta.

Isso fica evidente, por exemplo, no empréstimo para negativados, que tem taxas de juros muito altas para compensar o risco da operação.

Organize suas finanças

A contratação do empréstimo é apenas o primeiro passo para sair do vermelho. Você deve, ao mesmo tempo, organizar suas finanças para evitar mais desequilíbrios financeiros.

A melhor forma de fazer isso é ter uma planilha financeira pessoal, na qual devem ser anotados todos os gastos e recebimentos do mês. É importante colocar toda e qualquer despesa, até mesmo aquela bala depois do almoço.

Avalie os gastos desnecessários que podem ser cortados e faça ajustes, pelo menos por um tempo. Se necessário, avalie a possibilidade de vender algumas coisas para ter um dinheiro extra.

Por exemplo: se você tem uma renda de R$ 8 mil, mas seus gastos mensais são de R$ 10 mil, precisa tomar uma atitude. O melhor é reduzir despesas supérfluas, como compras exageradas e impulsivas no shopping e no supermercado. Uma alternativa é vender o carro e trocar por outro mais barato, usando a diferença de valor para quitar algumas dívidas.

Tomar essa atitude vai garantir que você tenha mais equilíbrio financeiro e possa pagar as parcelas com tranquilidade.

Entendeu como usar o empréstimo com garantia de imóvel de forma consciente? Com essas dicas que apresentamos, a tendência é que você tenha mais segurança financeira. Agora, é só colocar isso em prática. Aproveite e siga a gente no Facebook, Twitter e LinkedIn para ver outras ideias!

Comentários

Assine nossa newsletter