O Sofisa Direto quer te conhecer melhor

Vamos lá!

Você já tentou economizar no cotidiano, mas não teve sucesso? Sentiu dificuldade de colocar em prática as ideias e os conceitos de guardar dinheiro no dia a dia? Talvez o Desafio das 52 semanas possa ser a solução que você precisa.

Nesse projeto, você será apresentado a conceitos de economia progressiva e conseguirá guardar até R$ 6.890 em um ano, começando com um valor tão baixo como R$ 5.

Ao final do desafio, economizar será um hábito natural da sua personalidade e você não terá nenhuma dificuldade em identificar oportunidades para gastar menos na sua rotina. Parece ótimo? Então continue lendo para saber mais!

A importância de estabelecer metas de economia

Você já ouviu falar no ditado de que “de grão em grão a galinha enche o papo”? Se sim, saiba que esse dito popular guarda muita sabedoria.

Uma das grandes dificuldades para quem quer mudar de vida e aplicar conceitos de economia no dia a dia é o choque de mudar de vida bruscamente. A pessoa possui um padrão de vida específico e, de uma hora para outra, precisa fazer grandes cortes em todas as áreas.

Essas mudanças geram um estresse bem grande no cotidiano da pessoa e, não raro, desestimula o hábito da gastar menos. Economizar no dia a dia vira algo chato, doloroso, estressante.

É por isso que é muito mais fácil adotar o hábito de salvar dinheiro de forma leve, com a economia progressiva.

Nesse caso, o método é estabelecer pequenas metas de economia, que aumentam de dificuldade conforme os objetivos anteriores são cumpridos. Essa dinâmica estimula a pessoa a continuar progredindo e a conquistar níveis mais altos.

O segredo é não transformar a economia em algo negativo, mas sim em objetivos prazerosos. Somos seres que gostam de objetivos por natureza. Sempre que atingimos uma meta, o cérebro libera um pouco de dopamina, hormônio responsável pelo nosso sistema de prazer e recompensa.

Ou seja, quando estabelecemos um objetivo e o atingimos, recebemos um sentimento de prazer e conquista muito gostoso em troca. Isso faz parte do mecanismo de recompensa do nosso cérebro para nos manter focados e disciplinados.

Porém, quando estabelecemos metas a longo prazo (como economizar R$ 5.000 em um ano ou reduzir os gastos no cartão de crédito em 30% em seis meses, por exemplo) leva muito tempo para recebermos nossa dopamina. Isso nos deixa desmotivados e com menos força para continuar no objetivo até o fim.

É por isso que as metas de economia de curto prazo funcionam muito bem. Com elas, estamos sempre atingindo objetivos e recebendo pequenas doses de dopamina, mantendo nossa motivação e o foco conservados.

Além disso, metas de curto prazo permitem que possamos controlar melhor o nosso objetivo principal. É muito fácil se perder quando o prêmio é grande demais ou o percurso é muito longo.

Por exemplo, imagine que você estabeleceu a meta de juntar R$ 4.000 durante o ano de 2020. Como você faria?

A maioria das pessoas prefere dividir esse valor em 12 vezes e juntar um pouco a cada mês. Nesse caso, você teria de separar aproximadamente R$ 333 de cada salário para atingir esse objetivo.

Não há nada de errado nisso e a muita gente consegue cumprir esse plano sem problemas. Porém, é comum que surjam alguns problemas na execução dessa estratégia.

Chega fevereiro, por exemplo, e precisamos gastar um pouco mais no material escolar das crianças. Só dá para guardar R$ 250. No mês seguinte tentamos compensar, mas temos ovos de Páscoa e também não conseguimos bater a meta.

Antes de setembro já desistimos porque fica muito difícil focar em um objetivo tão distante. Quando quebramos essa mesma meta em pedacinhos minúsculos, alcançá-la é muito mais fácil!

É exatamente isso que o Desafio das 52 semanas faz: ele divide uma meta enorme em pequenos objetivos para você permanecer focado o ano todo. Mas antes de ver como ele funciona, vamos nos preparar adequadamente para realizá-lo!

A planilha ideal para você controlar o desafio

Sempre que o Batman se prepara para enfrentar o crime em Gotham City, ele confere as condições de todas as ferramentas do seu cinto de utilidades. Afinal, ele precisa estar bem equipado caso o Coringa jogue alguém de um prédio ou o Charada prenda algum cidadão em suas armadilhas.

Quando nós partimos para realizar alguma tarefa, precisamos ter o mesmo cuidado e utilizar as ferramentas certas para isso.

Um dos grandes obstáculos para quem entra em um desafio de economia progressiva, como é o caso do Desafio das 52 semanas, é manter o controle sobre a evolução durante o tempo.

Muita gente costuma fazer esse controle dentro da própria cabeça e vai calculando o progresso automaticamente. “Já tinha poupado R$ 300, hoje guardei mais R$20, então tenho R$ 320”.

Não há nada errado nesse método. Porém, é inegável que é mais difícil controlar o progresso dentro do desafio na própria cabeça do que com ferramentas adequadas para a tarefa. Afinal, é normal se esquecer das coisas depois de uma rotina corrida e um dia complicado de trabalho.

O ideal para fazer esse controle do desafio é montar uma planilha no Excel. Ensinaremos como fazer isso nos próximos parágrafos.

O funcionamento do Desafio das 52 semanas é bem simples: a cada semana do ano, devemos economizar um montante específico. A meta que deve ser economizada aumenta um pouco na semana posterior.

Ou seja: na semana 1 devemos guardar R$ 1. Na seguinte, R$ 2. Depois, R$ 3. E assim vai até a última semana do ano.

Para controlar o seu progresso nesse desafio, você deverá se preparar com uma planilha no Excel que seja adequada para as regras dessa estratégia. Para montá-la, você deverá executar os seguintes passos:

Comece selecionando três células da sua planilha. Elas deverão ser intituladas “Semana”, “Meta da Semana” e “Montante Atual”. Esses itens serão os necessários para realizar o controle do desafio.

Abaixo da célula “Semana”, coloque o número 1. Na célula abaixo, insira o número 2 e assim sucessivamente até preencher as 52 semanas do ano.

Abaixo da célula “Meta da Semana”, insira o valor inicial do desafio. Pode ser R$ 1, por exemplo. No campo abaixo, você deverá inserir uma fórmula para calcular automaticamente o valor a ser poupado em cada semana.

Para fazer isso, basta digitar o sinal de “=” e clicar na célula com a Meta Inicial (a de R$ 1). Complete a fórmula adicionando “+1” para aumentar o valor a guardar nessa semana.

Ou seja: se o valor de R$ 1 está na célula H3, por exemplo, então você deverá colocar “=H3+1” na célula abaixo, a H4. Depois disso, basta copiar e colar a célula até preencher a tabela inteira para gerar automaticamente o valor a ser poupado em cada semana do desafio.

Para calcular o Montante Atual em cada semana, você também precisará usar fórmulas. No campo do montante da primeira semana, apenas adicione o mesmo valor da primeira meta.

Na célula abaixo da semana 2, você adiciona a fórmula, que é bem simples: basta somar o conteúdo da célula de cima (o Montante da semana anterior) com o conteúdo da célula do lado (a Meta da Semana). Depois copie e cole a célula em todas as outras semanas para finalizar a planilha.

No fim, você deverá ter algo assim:

Semana

Meta da Semana

Montante Atual

1

R$ 1

R$ 1

2

R$ 2

R$ 3

3

R$ 3

R$ 6

4

R$ 4

R$ 10

O funcionamento do Desafio das 52 semanas

Como já deu para perceber, o grande segredo da economia progressiva é aumentar a dificuldade de cada meta de maneira gradual, para que possamos nos acostumar com cada nível.

O funcionamento do Desafio das 52 Semanas reflete isso. Cada semana aumenta o valor da meta a ser atingida para que o participante possa se esforçar mais e adquirir o hábito de gastar menos..

Porém, esse desafio também é altamente customizável para vários cenários. Você poderá adaptá-lo para a sua realidade e hábitos econômicos, mantendo os seus efeitos. Vamos ver como? Continue lendo!

Quais são as principais regras?

O Desafio das 52 Semanas tem um regulamento bastante simples e que você já deve ter assimilado no momento, considerando que já falamos sobre ele algumas vezes.

Em poucas palavras, a dinâmica do desafio consiste em economizar um valor específico a cada semana do ano, com o montante economizado aumentando semanalmente.

Quanto dinheiro será acumulado?

Vai depender da sua realidade financeira atual e de quanto você escolherá guardar em cada uma das semanas do desafio.

O valor mínimo acumulado no final de um ano é de R$ 1.378. Para isso, você deve começar a primeira semana do programa com R$ 1 e aumentando o desafio adicionando um real extra a cada semana. Ou seja: primeiro R$ 1, depois R$ 2, em seguida R$ 3 até chegar a economizar R$ 52 na última semana do ano.

Porém, você não precisa usar o valor mínimo. Se quiser, pode começar poupando R$ 5 e aumentar mais R$ 5 a cada semana. Se fizer isso, terminará o ano com R$ 6.886 e o seu último depósito será de R$ 250.

Para uma dificuldade maior, comece o ano com R$ 10 e suba mais dez a cada semana. Nesse caso, você finalizará o desafio com R$ 13.771 acumulados, com o depósito máximo de R$ 520 na última semana.

O ideal é selecionar o valor que está mais de acordo com a sua situação financeira e os seus hábitos financeiros. Se você tem dificuldades para economizar no dia a dia e não tem um salário muito alto, comece com o valor mínimo, sem problemas.

Quando estiver acostumado, suba para níveis de dificuldades maiores.

O que esse desafio ensina para o consumidor?

Muitos ficam impressionados com o total acumulado durante um projeto como esse. Afinal, como pudemos ver acima, é possível juntar mais de R$ 1.300 no mínimo e chegar a valores de R$ 6.000 sem dificuldades.

Porém, o Desafio das 52 semanas não é sobre juntar dinheiro. O objetivo final aqui não é adquirir seis mil reais ou uma viagem para a Europa de férias. O grande prêmio para quem completa o programa é aprender a economizar.

Durante as 52 semanas do desafio, o participante vai desenvolver gradualmente o hábito de guardar o seu dinheiro. Pouco a pouco, real a real, economizar se torna um jogo divertido e prazeroso.

Ao final do desafio, o participante já terá incorporado o hábito de guardar à sua personalidade e não terá dificuldades em manter o ritmo nas semanas seguintes.

O que é preciso para colocá-lo em prática?

Disciplina e força de vontade. Não é preciso mais do que isso para participar do Desafio das 52 semanas.

Um dos grandes obstáculos desse programa é que ele é longo. Você participará por um ano inteiro e poderá ficar cansado das exigências do desafio antes de concluí-lo. Porém, a sua dinâmica possui soluções para isso.

Primeiro, as recompensas geradas pelas metas de curto prazo, como já falamos no início desse artigo. Sentir o progresso feito durante as primeiras semanas do programa gera a motivação necessária para continuar nele.

Depois, o próprio conceito de economia progressiva. Muitos se assustam quando olham para os números do final do desafio. “Nossa, vou precisar economizar R$ 52 numa semana! Isso é muito difícil!”, é o que a maioria pensa.

Porém, esse pensamento ignora que, para economizar R$ 52 numa semana, você precisa ter economizado R$ 51 na semana anterior. Portanto, você já saberá como atingir essa meta pois já terá a experiência de ter economizado por 51 semanas.

Esse é o segredo do método desse programa: conduzir o participante por uma “escada” em que ele aprenderá a economizar altas quantias sem perceber.

Portanto, para aproveitar o máximo possível desse sistema, a única coisa que você precisará é de bastante força de vontade e disciplina. E, talvez, uma boa planilha no Excel, claro.

A que perfil de consumidor ele é destinado?

Qualquer pessoa que tenha o interesse em aprender a gastar menos sem passar aperto e adquirir o hábito de economizar na sua vida.

Você não precisa ser um investidor, nem ter um supersalário para participar do desafio. Ele é destinado a qualquer um de nós, especialmente porque ele se adapta a nossa realidade.

Seu salário é pequeno e não sobra muito no fim do mês? Sem problemas: comece com o valor mínimo e aprenda a explorá-lo ao máximo. O seu salário é confortável, mas, mesmo assim, você passa apertado? Então participe do desafio e aprenda a colocar disciplina na sua vida financeira.

As melhores dicas para garantir um bom desempenho

Depois de todo esse papo, você topou o desafio e vai economizar durante 52 semanas para aprender que guardar seu dinheiro pode ser fácil e prazeroso. Mas será que vai dar tudo certo? Como garantir que você terá um bom desempenho nesse programa?

Confira as nossas dicas:

Use a planilha para controlar o desafio

Existe uma razão para termos separado uma seção inteira desse artigo apenas para ensinar como montar um registro do desafio das 52 semanas no Excel: é porque funciona!

O benefício que a planilha oferece ao transformar o conceito do desafio em algo visual para o participante é enorme. Com alguns cliques, você consegue acompanhar o progresso que está fazendo, se organizar em relação aos valores que devem ser poupados e se motivar com os resultados obtidos.

Portanto, não desperdice a chance de usar esse recurso para garantir o seu sucesso nesse desafio. Não deixe todo o trabalho para a sua cabeça e use as ferramentas necessárias para realizar esse trabalho!

Troque programas caros por alternativas baratas

Quantas vezes por mês você vai ao cinema? Duas? Ok. E, quando você faz esse programa, você costuma convidar o seu parceiro ou a sua parceira para um jantar? Certo. Última pergunta: você sabe quanto isso custa por mês?

Vamos supor que o ingresso para o lançamento da semana no cinema mais próximo é de R$ 20. Dois ingressos por sessão fica em R$ 40. Mais um jantar básico em uma lanchonete depois do filme (R$ 25 em cada lanche mais bebidas) esse programa ficaria em R$ 90.

Se vocês forem duas vezes por mês ao cinema, gastariam 180 reais nisso. Em compensação, se assinarem um serviço de streaming, poderiam ver filmes todos os dias da semana por menos de R$ 30 ao mês.

O objetivo desse exemplo não é dizer para que você nunca vá ao cinema, mas sim mostrar como é possível economizar se procurarmos por alternativas mais baratas de obter o mesmo benefício.

Em vez de assinar um serviço de streaming, você pode usar o sistema de pontos do seu cartão de crédito para comprar o ingresso do filme dessa semana. Assim, você poupa R$ 20 sem problemas.

Existem milhares de sites com descontos, programas de pontos e alternativas mais baratas (e muitas vezes gratuitas) para que você possa gastar menos no seu lazer e alimentação, tornando o desafio muito mais fácil.

Convide algum amigo ou familiar para fazer com você

É muito chato entrar em um regime sozinho, não é mesmo? Você passa a semana comendo brócolis e peito de frango grelhado e, quando chega no fim de semana, vai na casa de algum familiar para ver os outros com aquela bela lasanha.

A mesma coisa pode acontecer com o desafio. Você se esforça todos os dias para manter os gastos sob controle e recebe uma mensagem dos amigos para fazer algum programa no fim de semana. E lá se vai o montante economizado..

Para evitar esse cenário, convide os seus amigos e familiares a participarem do Desafio das 52 semanas com você. Juntos, vocês podem compartilhar dicas, evitar recaídas e aumentar a motivação para cumprir o programa até o fim.

Aumente a dificuldade do desafio nos próximos anos

Um dos segredos da economia progressiva é que sempre existe um próximo nível a enfrentar, em que a sua recompensa será maior.

Isso significa que o desafio não precisa acabar na 52ª semana. Se você chegou lá com facilidade, comece de novo com uma dificuldade maior.

Se você fez o desafio com o valor mínimo de R$ 1, então faça no ano que vem de novo com o valor de R$ 2. Quando conseguir, passe para R$ 3. E então R$ 5, depois R$ 7 e R$ 10. Aumente a dificuldade do desafio para colher recompensas melhores e economizar ainda mais!

A melhor estratégia para utilizar o dinheiro acumulado

Agora que você já passou o ano inteiro poupando, cumpriu o desafio e conseguiu juntar uma bela quantia, a pergunta a fazer é: como usar esse dinheiro de maneira estratégia?

A solução mais inteligente é potencializar os seus ganhos, claro. E, para isso, você deverá investir o dinheiro acumulado após o Desafio das 52 semanas.

Vamos supor que você tenha feito o desafio usando o valor inicial de R$ 5. No final das 52 semanas, juntou R$ 6.886. O que fazer com esse dinheiro?

Existem três ótimas opções de aplicações de Renda Fixa, com boa rentabilidade e muita segurança, que são interessantes nesse caso: o CDB e as LCIs e LCAs.

Esses investimentos são protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (que garante reembolso de até R$ 250 mil por CPF em cada instituição financeira), possuem baixo custo de aplicação e rendimentos altos.

Quer um exemplo? Então vamos comparar o rendimento de um título CDB com a sua aplicação padrão na Caderneta de Poupança.

Se você colocar esses R$ 6.886 em um título CDB com o Sofisa Direto por 5 anos, com rendimento de 112% da taxa do CDI, o valor líquido que você obterá (tirando o Imposto de Renda) será de R$ 10.086,04 — um ganho de mais de 146%.

Já esse mesmo valor aplicado na Poupança, durante o mesmo período, se transformaria em R$ 8.149,04. Ou seja: mais de 20% a menos do que o rendimento no CDB.

É claro que esses valores são apenas estimativas feitas com base nos fatores atuais da nossa economia, mas servem para mostrar o potencial de ganho que investir em um título privado possui. Nesse exemplo, você deixaria de ganhar quase R$ 2 mil se mantivesse o dinheiro na Poupança.

Como deu para ver, o Desafio das 52 semanas é uma ótima maneira de aprender a economizar e ainda levantar um bom dinheiro para investir ou realizar os seus sonhos.

Agora que você já está pronto para iniciá-lo, que tal compartilhar este artigo no Facebook ou Twitter e marcar os seus amigos e familiares? Assim eles podem se empolgar e topar realizar o desafio com você!

Comentários

Assine nossa newsletter