Com a instabilidade que ocorreu na economia nos últimos anos, ficou um pouco difícil decidir onde investir. O quadro para 2021 é promissor no momento, mas ainda é muito importante buscar formas seguras de aplicar o seu dinheiro, dando preferência à Renda Fixa em vez da Renda Variável. Dois dos meios de aplicação que se destacam nesse cenário são o CDB pós-fixado e o CDB prefixado.

É verdade que ambos são uma variação do mesmo produto, e possuem até o mesmo primeiro nome. Porém, a forma como cada um funciona é diferente, o que tem impacto direto sobre o retorno do seu investimento.

Entender a distinção entre eles e suas características é fundamental para conseguir maior rentabilidade e mais segurança. Então, continue acompanhando este post e entenda o que precisa saber para escolher onde empregar seu investimento.

O que é o CDB?

Antes de falar em CDB pós-fixado ou prefixado, você precisa saber o que é um CDB. A sigla é uma abreviação de “Certificado de Depósito Bancário”. De forma bem simplista, é um empréstimo que você faz ao banco, que é pago de volta com juros. Mas vamos destrinchar um pouco melhor esse conceito.

Um banco, enquanto instituição financeira, pode fazer seus próprios investimentos a fim de conseguir mais capital. Porém, para gastar dinheiro, primeiro é preciso ter dinheiro disponível. Por isso ele emite os CDBs, permitindo que seus clientes emprestem recursos na forma de um investimento. Nesse momento é escolhido o CDB pós-fixado ou o prefixado.

Na hora do investimento, é estabelecida a taxa de retorno para o cliente, que pode ser atrelada a algum índice do mercado, como a taxa de juros. Por exemplo, o banco pode pagar 95% do CDI por ano. Se o CDI render 10% no ano, o investidor receberá 9,5% de rentabilidade nesse mesmo período. Os prazos, índices e taxas podem levar a outras variações nesses números, mas o princípio é o mesmo.

Como é o CDB pós-fixado?

Agora sim, chegamos às diferenças entre os dois tipos. Primeiro, o que você imagina por “pós-fixado”? Mais uma vez, de forma simples, isso significa que o rendimento obtido só é calculado após a contratação do investimento, considerando todas as variações que ocorrem no meio do caminho.

Digamos que você realize um investimento de R$ 1.000 pós-fixado em CDB, com prazo de 1 ano. É estabelecido que a rentabilidade será atrelada a um índice em particular, como o CDI, oferecendo 100% do seu valor. Todos os dias o banco vai consultar a instituição responsável pela divulgação do índice diário (no caso do CDI, essa instituição é a CETIP), vai multiplicar esse índice pelo percentual do CDI contratado e vai aplicar o índice resultante ao montante investido. Ou seja, a rentabilidade contratada de 110% do CDI é capitalizada diariamente.

Como é o CDB prefixado?

Considerando a última explicação, você já deve imaginar como esse tipo de CDB funciona. Em vez de considerar a variação de índice durante o período de investimento, o retorno do cliente é determinado antes de ser assinado o contrato. Dessa forma, o investidor já sabe o valor exato que terá de retorno antes de começar. Essa simples segurança pode levar muitas pessoas a escolherem o CDB prefixado no lugar do CDB pós-fixado.

Seguindo o mesmo exemplo do tópico anterior: investimento de R$ 1000, pagando 13% ao ano. Independentemente de o CDI variar de 8% para 12% e terminar em 9%, o investidor receberá o rendimento de 13% contratado. As taxas alcançadas no meio do caminho são desconsideradas, e apenas o valor inicial é levado em conta. Isso significa que, depois de um ano, mesmo antes de contratar o CDB, o investidor já sabe que terá o rendimento exato de R$ 130.

Nova call to action

Como escolher entre um e outro?

Para decidir entre o CDB pós-fixado ou o prefixado, você precisa entender como as diferenças entre eles influenciam a qualidade do seu investimento. Vamos focar abaixo nos pontos principais.

Comparação de riscos

Esse é um passo difícil, mas fundamental em qualquer investimento. Felizmente, você não terá muitos problemas com isso no CDB. O investimento é considerado bem seguro, tanto no modelo pré quanto pós, protegido pelo FGC (Fundo Garantidor de Créditos), que anula o prejuízo caso algo extremo ocorra, como a falência da instituição. Há apenas um risco mais considerável ao fazer sua escolha:

Variação do índice

Vamos considerar este como o risco menor, já que não vai zerar o seu investimento. Ao escolher entre o CDB pós-fixado ou prefixado, você precisa observar a tendência do índice ao qual ele está atrelado. Também é necessário verificar se a tendência é de alta ou de baixa e por quanto tempo ela pode se manter. Mas cuidado, quando uma instituição financeira oferece um CDB prefixado, ela também leva em consideração a variação do índice que o mercado acredita que ocorrerá.

Como orientação geral, se você já tem um objetivo estabelecido e o modelo prefixado garante que você receba o que precisa, ele é o mais indicado. Caso não haja essa segurança, o modelo pós-fixado é melhor para atingir o objetivo.

Remuneração

O valor de rendimento de cada meio de investimento varia em função de diversos fatores — o índice utilizado é apenas um deles. Outro elemento a ser considerado é o porte do banco. Instituições financeiras maiores, em geral, são mais seguras. Por outro lado, isso implica em uma rentabilidade bem menor.

Os bancos menores, por sua vez, compensam oferecendo uma porcentagem maior do indicador, que às vezes pode chegar a mais de 100%. Isso torna os seus fundos mais atrativos.

Prazo de investimento

Por fim, você deve considerar o período no qual pretende investir. Isso influencia na sua escolha entre o modelo pós ou prefixado, de acordo com a tendência do indicador. Além disso, não é recomendado simplesmente deixar seu dinheiro parado apenas no CDB, pois existem outras oportunidades de investimento tão rentáveis quanto ele.

Agora que você entende a diferença entre o CDB pós-fixado e o prefixado, é hora de considerar mais esse investimento. Afinal, trata-se de uma estratégia que pode trazer muitas vantagens para seus negócios. Ainda tem alguma dúvida? Então deixe um comentário com sua pergunta!

Nova call to action

Comentários

Assine nossa newsletter

Você pode cancelar o recebimento a qualquer momento, clicando apenas no link "cancelar inscrição" nesses e-mails ou entrando em contato conosco. Clique aqui para acessar nossa política de privacidade.