A educação financeira infantil é fundamental para a construção de hábitos saudáveis de consumo. A grande parte dos ensinamentos que recebemos na infância nos acompanham por toda a vida! Confira nesse post algumas dicas de como ensinar seus filhos a lidarem com o dinheiro.

Saiba quando falar sobre dinheiro com as crianças

Alguns pais receiam falar de dinheiro com os filhos por não se sentirem bem resolvidas ao lidar com as próprias finanças. No entanto, você não precisa ser um profissional no assunto e nem um modelo de sucesso para ensinar o básico às crianças.

Se você não estiver muito bem financeiramente, considere novos hábitos de consumo e planejamento. Afinal, é pelo exemplo dos adultos que as crianças aprendem.

Por volta dos 7 anos de idade, a criança já entende que o dinheiro é necessário para adquirir coisas, pois vai observar que você paga ao vendedor e recebe um produto em troca. Mas até então, não existe uma idade específica para iniciar a educação financeira infantil, depende muito da curiosidade e interesse dos filhos.

Algumas dicas de como ensinar finanças para os pequenos:

Diferença entre querer e precisar

Se a criança quer, mas não precisa gastar seu dinheiro com algum item, explique que, por conta disso, faltará dinheiro para comprar um outro item que é necessário. Se insistir em fazer a compra, deixe que a criança sinta as consequências. Aprender com os próprios erros, quando eles ainda são pequenos é bastante eficaz!

Veja também:

Reserva financeira: um guia de como usar bem seu dinheiro.

Recompensas por tarefa

Uma forma de ensinar duas importantes lições é combinando recompensas com as crianças. Conceda tarefas de acordo com a idade! Elas aprenderão a buscar por meio do trabalho aquilo que querem e a terem autonomia, já que controlarão o dinheiro ganho – contando, com sua ajuda.

Diferença entre lazer e consumo

As crianças costumam associar o “sair de casa” com consumo. O que é um fator de risco para a construção de um comportamento consumista. Então, antes de sair para iniciar uma atividade, deixe claro de que tipo ela será: recreativa ou de compras. O prazer de passear deve ser diferente do ato de consumir. Isso evita a distorção entre o querer e a necessidade.

Entendendo os custos domésticos

Mostre as despesas de casa, como contas de luz e água. Ressaltando que, quando utilizados com consciência, os valores são reduzidos e consequentemente no fim do mês haverá uma renda extra disponível. Permita que as crianças participem das compras, entendam o valor de cada produto e como será pago.

A educação financeira infantil é uma caminhada longa e produtiva. Mas, lembre-se que ensinar pelo exemplo é, sempre, o método mais eficaz com as crianças!

 

Comentários

Assine nossa newsletter