Cuidar das finanças da casa deve ser prioridade para a família, principalmente em tempos de crise. A incerteza desse momento exige cautela para evitar o saldo negativo no banco e até mesmo a perda de bens.

Se a vida financeira não está em ordem, os gastos acima do possível se tornam algo comum e logo é necessário fazer cortes para que as contas fechem no final do mês.

Agora é hora de parar e avaliar como anda a organização das finanças de casa, para ajudar a controlar a situação e evitar contratempos.

Não sabe como fazer isso? Então descubra 7 dicas que podem ajudar na organização financeira de casa.

1. Quite suas dívidas

Um ponto crucial da organização financeira de casa é se livrar das dívidas. No momento de desespero, pedir um empréstimo com juros altos pode parecer a melhor solução. Mas o que fazer quando as dívidas se tornam ainda maiores justamente por causa do empréstimo?

Para eliminar esse risco, coloque na ponta do lápis todas as suas dívidas, o que já foi pago e a quem você deve. A partir daí, é o momento de renegociar: contate seus credores e tente um novo acordo.

Se for possível, pague o valor à vista, já que os juros são menores e pode haver um desconto. No caso de parcelar a dívida, tenha certeza de que pode quitar o valor acordado. Informe-se sobre o máximo de parcelas que podem ser pagas sem juros.

Pense que será um gasto a mais no orçamento, mas você estará livre da dívida ao final. É preciso ter muito cuidado no planejamento, já que é essencial cumprir com o combinado para não se endividar novamente.

2. Estabeleça metas

Estabelecer metas vai ajudar você a alcançar objetivos traçados para organizar suas finanças. É importante que os objetivos sejam realistas, caso contrário a frustração será certa.

Tenha metas simples, como economizar 10% do salário ou diminuir a conta de luz. Para que as metas funcionem, você deve estabelecer prazos. É o caso de planejar a quitação das dívidas em seis meses, ou de juntar um determinado valor até o final do ano.

3. Gaste menos do que você ganha

Um grande erro que pode comprometer a situação financeira de casa é o exagero dos gastos. É preciso ser realista e evitar assumir compromissos maiores do que o seu salário mensal.

Para prevenir que isso aconteça, fazer uma planilha de gastos pode ser a solução. Inclua na planilha todas as contas da casa: luz, água, telefone, internet, gás, entre outras. Feito isso, estabeleça um valor médio que deve estar disponível mensalmente para pagar essas contas.

Outro ponto é cuidar do cartão de crédito, já que ele pode ser um grande inimigo da organização financeira. Diminua o limite do seu cartão para evitar a tentação de comprar supérfluos. Sempre que pagar algo com o cartão, anote e inclua na sua planilha de gastos.

Passeios, viagens e refeições na rua também precisam de atenção. Comece a anotar todas as saídas da família e o valor gasto em cada uma delas. Se o valor total for acima de 15% do seu orçamento, é hora de rever os gastos com lazer. Você não precisa cortar todas as saídas, sendo necessário apenas adequar esse hábito ao seu orçamento.

4. Fique atento aos impostos

Os impostos podem comprometer uma boa parte do orçamento da casa. Se você não se organizar para pagá-los no momento certo, pode contrair dívidas e ficar inadimplente.

Aproveite a planilha de organização de gastos e anote o valor de impostos como o IPVA, imposto de renda e IPTU, assim como a data em que precisam ser pagos.

Esse dinheiro deve estar disponível na data do pagamento, por isso é importante ter organização e economizar até três meses antes para garantir que tudo dê certo.

5. Avalie a possibilidade de aumentar a renda

Se as contas não batem, você já fez cortes nos gastos e ainda não consegue guardar dinheiro para pagamentos futuros, é hora de avaliar a possibilidade de aumentar a sua renda.

Com a internet, ficou fácil arranjar oportunidades para complementar a renda e, assim, pagar as contas e evitar dívidas. Sabe aquele tempinho de folga à noite ou um dia do final de semana? Você pode usar esses momentos para alguma atividade remunerada.

Pense no que você tem aptidão e pesquise se há possibilidade de ter lucro com essa atividade. Outra opção é apostar na revenda de produtos que ofereçam boa margem de lucro.

6. Comece a investir

Por falar em conseguir renda extra, depois de organizar as contas é hora de começar a pensar em investimentos. Para que o dinheiro economizado não perca valor, é importante aplicá-lo mediante uma rentabilidade.

Para conseguir aumentar a renda com segurança, o ideal é optar por investimentos de renda fixa, como o CDB. Essa opção é especialmente acessível e tem diferentes possibilidades quanto à liquidez, o que ajuda a impedir que o seu dinheiro fique imobilizado.

Assim, você garante que o dinheiro renda ao longo dos meses, gerando um aumento dos recebimentos para o orçamento de casa. Sem apertos, as finanças ficarão cada vez mais organizadas.

Além disso, parte da rentabilidade pode ser reinvestida em novas aplicações, levando à construção de patrimônio. Isso permite não apenas guardar o dinheiro com segurança, mas também reunir recursos para realizar sonhos sem ficar endividado.

7. Mantenha um fundo de emergências

Mesmo com um valor destinado para pagar as contas todo mês, é essencial manter um fundo de emergências. Ter o dinheiro contado é estressante e, se alguma coisa fora do comum acontecer, a família é pega desprevenida.

Tenha em mente que incidentes acontecem e estar preparado para enfrentar qualquer emergência vai ajudá-lo a se manter organizado financeiramente.

Uma boa quantia para o fundo de emergência é de 10 a 15% do seu salário, a qual deve ser separada todos os meses. Em caso de demissão, você poderá manter as contas em dia graças a essa quantia reservada mensalmente.

A organização financeira de casa é algo importante para o orçamento e pode evitar muitas dores de cabeça. Ao adotar essas dicas, você conseguirá manter as finanças em dia de um modo mais fácil. Com isso, você pode atravessar o momento de crise com maior segurança e ainda se preparar para o futuro.

Quer receber nossos posts em primeira mão? Então assine nossa newsletter para aprender a melhorar suas finanças.

Comentários

Assine nossa newsletter